post image

CD – Coletânea – Pernambuco forrozando para o mundo

Colaboração do Paulo Vanderley, do site Luiz Lua Gonzaga

Uma fantástica coletânea publicada em uma caixa com 03 CDs, que reúne vários dos grandes forrozeiros da nossa história, assim como novos talentos que trabalham pra sustentar atualmente o forró tradicional.

Acima as capas do “Viva Santo Antônio”

Acima as capas do “Viva São João”

Acima as capas do “Viva São Pedro”

Realmente essa é uma publicação para colecionadores, vale a pena ter um exemplar na prateleira.

Coletânea – Pernambuco forrozando para o mundo
2012 – Passadisco

Disco 01 – Viva Santo Antônio

01 Senhora da minha alegria (Dominguinhos – Xico Bizerra) – Dominguinhos e Waldonys
02 Se tu quiser (Xico Bizerra) – Elba Ramalho
03 De mala e cuia (Flávio Leandro) – Flávio Leandro
04 De domingo a domingo (Beto Hortis) – Beto Hortis
05 Só vou de mulata (Gordurinha) – Maciel Melo – Dominguinhos
06 Mucunã (Guilherme Medeiros) – Renata Rosa
07 Sina de passarinho (Tonzinho – Bruno Lins – Manoel Filó) – Fim de Feira
08 Buliçoso (Arlindo dos oito baixos) – Spok e Arlindo dos oito baixos
09 Arte verdadeira (Herbert Lucena – Helder Isaac) – Azulão e Dominguinhos
10 Canção adomingada (Xico Bizerra – Beto Hortis) – Liv Moraes
11 Fumando mais Tonha (Zé da Flauta) – Jacinto Silva
12 Mestre Salu (Sérgio Ferraz) – Sonoris Fábrica
13 Pra não ter mais fim (Nena Queiroga) – Nena Queiroga e Dominguinhos
14 Cacimba (Anchieta Dali – Abdias Campos) – Anchieta Dali e Jorge de Altinho
15 Luz do Baião (Cláudio Rabeca – José Mauro de Alencar) – Cláudio Rabeca
16 Domingos (Carlos Villela – Xico Bizerra) – Chambinho

Disco 02 – Viva São João

01 Fulo ingrata (Zé Dantas) – Dominguinhos
02 Saudade imprudente (Zé Marcolino) – Leda Dias
03 Coco viajado (Herbert Lucena – Paulo Carvalho – Cristiane Quincas) – Herbert Lucena
04 E ai, seu Domingos (Cezzinha) – Cezzinha
05 Baião de nos dois (Petrucio Amorim – Rogério Rangel) – Petrucio Amorim e Dominguinhos
06 Caruaru é Roma pegando fogo (Carlos Fernando) – Adryana BB
07 O que passa (Climério de Oliveira) – Chá de zabumba
08 A feira de Caruaru (Onildo Almeida) – Claudio Almeida
09 A rede véia (Luiz Queiroga) – Dudu do Acordeon e Dominguinhos
10 Seu Domingos (Flávia Bittencourt) – Flávia Bittencourt
11 Bodo Bodocó (João Silva – Zé Maria Marques) – João Silva
12 Radistae (D.P.) – Eddie
13 A poeira e a estrada (Claudio Almeida – Maciel Melo) – Irah Caldeira e Dominguinhos
14 Retrato do Nordeste (Joquinha Gonzaga – Zé Peixoto – Di Jesus) – Joquinha Gonzaga e Dominguinhos
15 Puxe o fole sanfoneiro Dominguinhos tocador (Téo Azevedo) – João Cláudio Moreno
16 Dominguinhos (Sandro Haick – Renato Loyola) – Sandro Haick e Dominguinhos

Disco 03 – Viva São Pedro

01 Sertanejo forçado (Zé Marcolino) – Dominguinhos
02 Confidências – Devagar – Meu ex-amor (Petrucio Amorim – Jorge de Altinho) – Cristina Amaral
03 Quixabinha (Anchieta Dali – Josildo Sá) – Josildo Sá
04 Um abraço pra Dominguinhos (Luizinho Calixto) – Luizinho Calixto
05 Forró na gafieira (Silverio Pessoa) – Silverio Pessoa e Dominguinhos
06 A dança do dia a dia (Flávio Leandro) – Santanna e Elba Ramalho
07 Todo dia (Rafael Beibi) – Quinteto Dona Zaíra e Dominguinhos
08 Encruzilhada (Jefferson Gonçalves – Renier Oliveira – Beto Lemos) – Jefferson Gonçalves
09 Um sonhador marginando (Jesser Quirino) – Jesser Quirino e Dominguinhos
10 Claridádiva (Zeh Rocha – Xico Bizerra) – Geraldo Maia
11 Desabafo de artista (Walmir Silva) – Walmir Silva
12 Baião experimental (Luciano Magno) – Luciano Magno e Dominguinhos
13 Querer (Adelson Viana – Paulo Viana) – Adelson Viana e Dominguinhos
14 Saudade da boa (Accioly Neto) – Accioly Neto
15 Café sem açucar (João do Pife) – João do Pife e Banda Dois Irmãos
16 Lua Brasil (Xico Bizerra) – Dominguinhos

Para baixar esse box com os 03 discos, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

CD – Galo da Madrugada 2012 – Galo, Frevo e Folião – Homenagem a Gonzagão

Colaboração do Jairo Melo, de Vicência – PE

“O CD Galo da Madrugada 2012 – Galo, Frevo e Folião em homenagem ao centenário do Rei Luiz Gonzaga. O disco vem composto pelas 12 músicas que concorreram a música oficial do Galo da Madrugada 2012.

A música vencedora é a do título do CD, a faixa 8, Galo, Frevo e Folião, composição de Nuca e Eriberto Sarmento, com interpretação do forrozeiro Josildo Sá.”

Galo da Madrugada 2012 – Galo, Frevo e Folião – Homenagem a Gonzagão

01 – A Asa Branca e o Galo Multicor – intérp. João Lima (Cláudio Almeida)
02 – O Rei do Baião no Reino de Momo – intérp. Ed Carlos (Ed Carlos)
03 – O Galo e o Rei – intérp. Gil Cordas (Edson Rodrigues e Paulinho Mafe)
04 – O Galo no Terreiro do Sertão – intérp. Fernando Azevedo (Fernando Azevedo)
05 – Luiz, Lua, Luar – intép. Alessandra e Bia Cavalcanti (Getúlio Cavalcanti)
06 – O Galo Canta pra Gonzaga – intérp. Almir Rouche (Jota Michiles)
07 – O Galo e o Rei do Baião – intérp. Nena Queiroga (Nena Queiroga)
08 – Galo, Frevo e Folião – intérp. Josildo Sá (Nuca e Eriberto Sarmento)
09 – Luiz Gonzaga no Galo – intérp. Quinteto Violado (Dudu Alves)
10 – Romance da Asa Branca com o Galo da Madrugada – intérp. Rogério Rangel (Rogério Rangel)
11 – Vira e Mexe do Galo – intérp. Banda Som da Terra (Rominho, Zé Carlos e Cayto)
12 – No Mundo do Lua – intérp. Ligia Miranda (Tiago Asfora)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

CD – Xico Bizerra – Forroboxote 09

Colaboração do Xico Bizerra

“Candeeiros e Neons são cúmplices da luz, cada qual ao seu modo. Se um reluz menos, compensa seu menos-brilhar com o sentimento da saudade, da lembrança, do romantismo. Se mais o outro brilha, sua luz se confunde com clarões outros, tão intensos e modernos quanto a dele, difundindo-se. Mas, ao final, cumprem a mesma função de desescurecer o que claro deve estar, num terreiro do sertão ou num asfalto da metrópole.

A luz deles emanava e emana, antes e agora. O tradicional evolucionou para o moderno, com deslocamentos graduais e harmônicos, sem perder sua característica principal e sem desvirtuar o objetivo essencial do iluminar. Apenas evoluiu, transformou-se acompanhando seu tempo, modernizando-se, mas mantendo o elemento físico contra o qual se dirigem suas operações: A LUZ. O raio do novo, a luminosidade do luzente, a claridade de um sol recente depois da espessa e densa neblina da escuridão.

O Candeeiro é SIMPLES e TRADICIONAL. O Neon é MODERNO, é SOFISTICADO. Buscamos, em quase 200 horas de estúdio e com o apoio de 58 pessoas diretamente envolvidas no processo – intérpretes, compositores, músicos, técnicos, arranjadores, produtores, designer gráfico, tornar confluentes esses conceitos antagônicos, promovendo a convergência do tradicional, representado pelos ritmos nossos, com o moderno, vestindo-os com um figurino atualizado. As canções, simples e sem maiores complexidades melódico-harmônicas, plenamente entendível para qualquer ouvido, se revestem de sofisticação – sem a presunção que o termo sugere, mas consciente do cuidado na elaboração dos arranjos e nas escolhas que fizemos para a consecução de cada uma delas.

Não sei se é um disco de forró, embora alguns deles aqui estejam. Talvez melhor classificá-lo como um disco de música regional, ou, simplesmente de um disco. Só. De um disco que não envergonharia àquele a quem dedico o trabalho: TOINHO ALVES, pela competência, pelo talento e por tudo que representou para a nossa Música, além de reunir em sua obra todos os conceitos que dão sustentação a esse trabalho. Ele também era tradicional e moderno, simples e sofisticado. Por isso era tão bom, por não se render à acomodação da mesmice, ao pé fincado apenas no ontem, sem o coração no hoje, sem a alma no amanhã, sem a crença no sempre.

Aí está o CANDEIROS e NEONS. Devem ser acendidos sem preconceitos. E que a luz que deles advir resulte no despertar da importância da arte na consolidação de nossa Nordestinidade. Ontem, hoje e sempre.

XICO BIZERRA, numa noite de um quase Outubro do ano 10, vendo uma estrela passear sobre o mar do Recife, refletindo na alma de quem vê sua LUZ o desejo de que os homens sejam do bem, de que o mundo seja melhor, de que os dias sejam de paz. E será.”

Textos retirados do sítio oficial de Xico Bizerra, para mais informações, acesse: http://www.forroboxote.com.br

Xico Bizerra – Forroboxote 09
2011

01. Cores da alegria (Xico Bizerra – Maria da Paz) Irah Caldeira
02. Pano do dia um (Xico Bizerra – Maciel Melo – Zeh Rocha) Maciel Melo
03. Estrada longa (Xico Bizerra – Bráulio Medeiros) Cezzinha e Elba Ramalho
04. Santa Trindade (Xico Bizerra – André Macambira) André Rio
05. Eu e nós (Xico Bizerra – André Macambira) André Macambira
06. Hoje tem forró (Xico Bizerra – Fábio Passadisco) Silvério Pessoa
07. Ciço e Luzia – Uma opereta matuta (Xico Bizerra – Carlos Villela) Xangai e Bia Marinho
08. Festa das cores (Xico Bizerra – Maria da Paz) Cristina Amaral
09. Claridádiva (Xico Bizerra – Zeh Rocha) Geraldo Maia
10. Pise de mansinho (Xico Bizerra – Luiz Gonzaga) (Parc Póstuma) Santanna
11. Domingos (Xico Bizerra – Carlos Villela) Nena Queiroga
12. O romance do fole com a viola (Xico Bizerra) Zé Brown e Xico Bizerra
13. Noites do meu lembrar (Xico Bizerra – Carlos Villela) Carlos Villela
14. Baião das cores (Xico Bizerra – Carlos Villela) Flávio Leandro
15. O longe é perto (Xico Bizerra) Edilza Aires e Bárbara Aires
16. Olinda, Holanda (Xico Bizerra – Toinho Alves) Toinho Alves e o Quinteto Violado

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

CD – Xico Bizerra – Forroboxote 07

Colaboração do Xico Bizerra

APRESENTAÇÃO:

XICÂNTICOS DE ALEGRIA

Ricardo Anísio

Lúdico, puro, terno, perene. Ledo encanto. Arte de fazer a emoção saltitar. Chapeuzinho Vermelho e os Sete Anões brincando de roda ao som das canções do Tio Xico, o mimetismo do camaleão que bebe a chuva. Os Irmãos Grimm e Monteiro Lobato osculando a aridez das sertanias. Xicobizerrando a passarada ouve-se o gorjear dos guris como se fossem árias da imaginação, asas dos autos compadecidos da nossa adultidade.

Xicânticos. Lá vem a boneca Emília chiqueirar o lobo-bobo. Lá vão nossas asas no túnel do tempo. Sejamos meninos, meninas, rosas, pássaros, córregos, reis e rainhas. Algodãodocicando cada nota. Eita-pau! Açúcar fura os dentes. Escovemo-nos da maleita. Façamos a colheita. Colhamos sonhos e bebamos os pingos de mel que caem deste CD. Cuidado. O que era doce nunca acabou-se. Eis aqui.

Lá vem o pirata de perna de pau, querendo casar com a Branca de Neve. O sapo não lava o pé porque não quer. Xicantigas. Loas, canção de ninar, miar, pio e pião. Quem chegar por último é o filho da roseira. O peixe vivo quer água morna no inverno. Ciranda, cirandinha. Atira o queijo no rato, e o pau no chato e na galocha.

Aqui neste disco tudo pode, tudo se deve, tudo de bom. Reaprender a cantar, brincar, ser gente. Esquecer as queixas, os cachos, os chiques. Elucide-se a trama do Tio Xico, que quer nos levar à Terra do Nunca. Pois então, vamos. Peter Pan não envelhece. Vamos ninar o coração dos que são estrelas nos céus de chumbo. Soldadinhos, barco de papel, carro de lata. Tudo vale quando a alma é alva. Xico Bizerra nos concede tudo. E tudo não precisa de muito. Basta-nos alegria, inocência e amor.

Menino Maluquinho, Mônica, Cascão, Ziraldo, Maurício de Sousa e Xico Bizerra…Lá vamos todos na bArca de Noé. Apertem os cintos: Plunct, Plact, Zum! Vamos a lugar algum. Vamos neste CDiscovoador que nos levará à Alegrilândia.

Bemvindos à Terra do Sempre!

Ricardo Anísio é Poeta, Jornalista e Escritor, autor dos Livros MPB a A a Z e Canção do Fogo, dentre outros
Setembro de 2007

INFÂNCIA LEVADA A SÉRIO

Não tem sido fácil para o povo brasileiro, fruto da confluência de matrizes étnicas tão díspares, constituir o próprio rosto, assumir uma identidade coletiva, se ver como uma gente única, consciente e orgulhosa de si.

Como juntar os múltiplos pedaços de que somos feitos? Como lutar contra as forças políticas e econômicas que nos massificam e que necessitam de homens mutilados, sem imaginação, sem criatividade e sem vida? Como fazer frente à indústria cultural que se apossa dos meios de comunicação para nos fazer engolir o produto mal acabado que nos descaracteriza? Qualquer um de nós, com um pingo de bom senso e de conhecimento, sabe como é urgente encontrar as respostas que nos devolverão a nós mesmos.

É nessa luta dramática e comovente que se engaja o meu amigo XICO BIZERRA. Faz tempo que ele mostra a cara do seu povo na música que faz. Agora, se lança a um desafio maior: produzir artisticamente para crianças. E só quem leva a infância a sério sabe das armadilhas que esperam quem se entrega a essa aventura. Muitos, seduzidos pela tarefa de ‘ensinar’, adotam um tom moralizador e professoral. As crianças bocejam enfastiadas. Outros forçam uma linguagem adocicada, diminutiva e de falsa simplicidade. As crianças torcem o nariz.

Os que trazem a chave certa sabem que o segredo é entrar no pensamento mágico com sua lógica toda própria, falando uma linguagem lúdica, desarticuladora das estruturas imobilizantes que se cristalizam no tempo. É através do sensível, do emotivo, da intuição que a criança chega ao autoconhecimento e ao mundo cultural em sua sociedade. É por aí que um povo se faz: na consciência de mundo que se assimila na infância. E esse mundo que XICO BIZERRA nos entrega é cheio de promessas de um futuro mais bonito.

Esse XICO BIZERRA, homem/menino/semente que se plenifica completamente como homem porque sabe brincar, reuniu o grupo para acompanhá-lo: as vozes brincantes de Cristiane Quintas, Nena Queiroga e Geraldo Maia, um coro de vozes infantis e instrumentistas que conhecem profundamente o chão da música nordestina. E o que nos entrega é essa riqueza de imagens poéticas, jogos verbais e rítmicos, aliterações, assonâncias, rimas, trocadilhos, personificações … tudo movido ao som de xotes, baiões, xaxados, sambas de latada … tudo muito nosso para que os pequenos aprendizes de cultura e continuadores da vida tenham orgulhos do que são e se façam, por sua vez, sementes de um país melhor.

Haidée Camelo, Professora de História da Cultura Brasileira e de Literatura Infantil da Universidade Católica de Pernambuco
Setembro de 2007

CANTIGAS DE RODA E DO SERTÃO PARA DESAVERMELHAR PEQUENOS CHAPÉUS E EXORCIZAR A MALDADE DOS LOBOS

Este trabalho tem a pretensão de utilizar a literatura infantil como ferramenta de educação e cultura, tratando a criança com inteligência e rspeito. Um dos intuitos é nela despertar o sonho de poder sonhar, de provocar uma viagem pelo universo lúdico da imaginação, mediante utilização dos poemas musicados e das próprias músicas. Todas as músicas tratam de temas ligados à natureza e ao dia-a-dia das crianças nordestinas, brasileiras.

As cantigas de roda tradicionais – todas as músicas têm como tema de abertura uma delas, são brincadeiras infantis, onde as crianças se dão as mãos, em roda, para cantá-las. As melodias dessas canções são tão marcantes que, ao ouvi-las, regressamos ao tempo bom da infância. Têm elas, também, o poder de envolver de maneira coletiva várias brincadeiras e danças. Contribuem, dessa forma, para a socialização e desinibição da criança, ao estimular o olhar frente a frente, o toque corporal, a exposição consentida. Desenvolvem, por outro lado, o senso de organização coletiva através da roda e do senso rítmico oferecido pela música e pelo movimento corporal que ela cria.

Se, de alguma forma, estivermos contribuindo para a valorização de nossa cultura regional e o engrandecimento pessoal de alunos, pais e mestres que se utilizarem de nosso trabalho como instrumento abrasileirado de educação, de aprimoramento cultural e de socialização, daremos a tarefa como bem cumprida.

Xico Bizerra, entre um pingo de chuva e um brilho de estrela, vendo a lua clarear o mar de Candeias, numa noite de Setembro de 2007.

Textos retirados do sítio oficial de Xico Bizerra, para mais informações, acesse: http://www.forroboxote.com.br

Xico Bizerra – Forroboxote 07
2007

01. Bicho (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Geraldo Maia e Cristiane Quintas
02. Lua (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Cristiane Quintas
03. Água (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Nena Queiroga e Cristiane Quintas
04. Casa (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Cristiane Quintas
05. Chuva (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Cristiane Quintas
06. Terra (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Cristiane Quintas
07. Flor (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Lívia Cavalcanti e Cristiane Quintas
08. Vento (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Cristiane Quintas
09. Sol (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Cristiane Quintas
10. Semente (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Cristiane Quintas e Nena Queiroga
11. Estrela (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Cristiane Quintas
12. Passarinho (Xico Bizerra – Roberto Cruz) Cristiane Quintas

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Xico Bizerra – Forroboxote 3 – Mulheres Cantadeiras de uma nação chamada Nordeste

xico-bizerra-forroboxote-3-capa

Colaboração do Nilson Araújo, da Sala Nordestina de Música.

“O que posso te informar é que hoje, na região, Xico Bizerra é uma unanimidade em termos de compor. A maioria da comunidade, forrozeira ou não, gravou composições dele, inclusive Elba Ramalho no seu mais novo trabalho, como ‘Se tu quiser’ (Que já tem mais de 90 regravações) e ‘Oferendar’, de Xico e Flávio leandro.

xico-bizerra-forroboxote-3-ficha

Xico Bizerra é cearense, radicado em Pernambuco, verdadeiro discípulo de Gonzagão, criador do projeto Forroboxote, em que cantores de renome, ou não, participam do
seu trabalho. Escute o CD e tire sua conclusão.
Eita poeta da bixiga lixa de bom!”

Para conhecer mais sobre o poeta Xico Bizerra, acesse http://www.forroboxote.com.br

Xico Bizerra – Forroboxote 3 – Mulheres Cantadeiras de uma nação chamada Nordeste
2004

01- Passarim João – (Xico Bizerra) Bia Marinho
02- Pé de saudade – (Xico Bizerra/Adalberto Cavalcanti) Marinês
03- Cochicho – (Xico Bizerra/Anchieta Dali) Kelly Rosa
04- Lua Brasil – (Xico Bizerra) Irah Caldeira (Part. esp. Dominguinhos)
05- Cobertor de estrelas – (Xico Bizerra/Adalberto Cavalcanti) Maria da Paz
06- Espinho e flor – (Xico Bizerra e Maria da Paz) Angela Luz
07- Pores de sol – (Xico Bizerra/Flávio Leandro) Walkiria Mendes
08- Do outro lado da rua – (Xico Bizerra/Anchieta Dali) Nádia Maia
09- Vou deixar não – (Xico Bizerra) Socorro Lira
10- Céu de balão – (Xico Bizerra/Luciano Nunes) Amelinha
11- Você não quis – (Xico Bizerra/Luciano Nunes) Sinfonéia Desvairada
12- Minha pintura – (Xico Bizerra) Nena Queiroga
13- Seu Amadeu – (Xico Bizerra) Joana Angélica
14- Mil colibrís – (Xico Bizerra) Sevi Nascimento e Rosaura Muniz
15- Crato, Araripe, Assaré – (Xico B./A.Cavalcanti) Chiquinha Gonzaga
16- Chorinho do Sanhaçu – (Xico Bizerra/Arlindo dos 8 baixos) Dalva Torres

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook