Trio Nordestino – Forró de categoria

nordestino-frente

Outro dia o Tick me falou pra ouvir esse LP do Trio Nordestino. “Tem um xote que eu achei diferente, engraçado…” Como estava querendo postar um disco do Trio com essa formação, com Coroné, Genário e Cobrinha, aproveitei a sugestão.

nordestino-foto

De fato, a música que o Tick se referia é um xote bem balançado e com uma ótima letra, “Um casal de advogados”. Tem outras coisas muito boas, como o clássico “Forró de categoria” e um outro forró, menos conhecido e é muito bom também, “É proibido ficar só”. Todas no lado B.

nordestino-verso

Direção artística de Juvenal de Oliveira, direção de produção de Talmo Scaranari e belos arranjos de Genário. Dedico essa postagem aos amigos do Trio Cristalino, Val, Damião e Coquinho, em especial a faixa “Raimunda” de João Gonçalves.

Trio Nordestino – Forró de categoria
1987 – Copacabana

* 01. São João a dois (João Silva – Genário)
* 02. Seu Manoelito (João Silva – Cobrinha)
* 03. Raimunda (João Gonçalves)
* 04. Brincar de laçar (Cecéu)
* 05. Tem tempero no forró (Edson oliveira – Iranilson)
* 06. Forró fifó (Kim de Oly – Mariazinha)
* 07. Forró de categoria (Newton Marinho – Evaldo Lima)
* 08. Coisa com coisa (Pinto do Acordeon)
* 09. Um casal de advogados (Chico Xavier)
* 10. É proibido ficar só (Cecéu)
* 11. Fruto do amor (Macã do amor) (Genário – Quininho)
* 12. Feitiço no forró (Cecéu)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Trio Sabiá – Trio Sabiá

trio-sabia-1997-trio-sabia-capa

Eu gostaria de poder dizer que esse é um dos melhores trabalhos do Trio Sabiá, de quem sou grande fã, mas isso seria uma incoerência, afinal a maioria dos discos lançados pelo trio é muito boa. Esse CD, em particular, me foi presenteado pelo próprio Tio Joca, em 1997.

Quase 10 anos depois, conseguimos ter acesso ao estoque do Magno, que participou da produção desse CD, entre outros títulos que publicaremos oportunamente aos finais de semana.

trio-sabia-1997-trio-sabia-lista

Direção musical do Trio Sabiá, arranjos do Tio Joca e do Trio Sabiá, gravado em São Paulo em 36 canais, participações especiais de Oswaldinho do acordeon e Cézar do acordeon, Lau tocando baixo e guitarra e Zézinho Pitoco na bateria. Gosto muito de todas as faixas, de tão bom, creio que esse disco merecia ter sido lançado em LP também.

Trio Sabiá – Trio Sabiá
1997

01 De coração virado (Miltinho Edilberto)
02 Bolinha de mim (Jorge de Altinho)
03 Você não soube me amar (Antônio José – João Silva)
04 Paixão louca (Gilvan Neves)
05 Saudade dói (Aluízio Cruz)
06 Amor querendo paz (Nequinha – Assis Lima)
07 No escuro é bem melhor (Trajano Menezes – Zito)
08 Amar – amar (Jorge de Altinho)
09 Garota (Raiumndinho do acordeon)
10 Sonho de vaqueiro (Manoel laurindo – José de Almeida)
11 Saudade (Manoel Fernandes – Tio Joca)
12 Não se solta mais balão (Osvaldo Aragão – Aluízio Cruz)
13 Salvação (Tônia Santos)
14 Forró de banda (Téo Azevedo)
15 Forró pra Jéfferson (instrumental) (Tio Joca)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Luiz Gonzaga

As fotos foram tiradas por Lia Costa Carvalho e extraídas sem autorização do seu Blog.

Aliás um belo blog, com lindas fotografias, pra quem gosta, vale a pena também. Extraí também as seguintes palavras, da própria Lia, que acompanhavam as fotografias:

“Figura incontornável da música brasileira, dispensa apresentação.
Quando fiz o ensaio fotográfico com ele em 1987, embora já praticamente cego, aceitou ir comigo para a rua em São Paulo. Jamais esquecerei este gesto 🙂

Pra ti também “aquele abraço”…
Obrigado, sanfoneiro,
obrigado, Gonzagão.

Um abraço alargado a todos que um dia voaram ao som da sua Asa Branca.”

Bastinho Calixto – Bastinho Calixto

capa4

Amigos cultuadores do forró pé-de-serra, para fechar a semana com chave de ouro, trago-lhes hoje uma preciosidade quando se trata de música nordestina.

Bastinho Calixto capricha nesse álbum, que veio junto a ascensão de sua carreira nos anos 70, o recheia com belíssimas composições nos seus 8 baixos e ainda o reforça com participações de grandes intérpretes da música regional nordestina: João Silva, Zé Bezerra, João Mossoró (Trio Mossoró) e Edson Duarte.

contra-capa3

Impossível destacar apenas algumas faixas, o disco inteiro é excelente. Com composições de Elias Alves, Adolfinho dos 8 Baixos, Zé Calixto, João Silva e Lindolfo Barbosa, o Lindú do Trio Nordestino. Assim não tem como não gostar não é?

Produção artística de Oséas Lopes e Lindolfo Barbosa, um disco para todos os gostos. Não deixem de escutar. (Texto e disco enviados pelo DJ Rick de São Paulo)

Bastinho Calixto – Bastinho Calixto
1974 – SOM

01 – Fogueirinha do Amor (Britivaldo – Elias Alves)
02 – Chegou o Tocador (Adolfinho – Bastinho Calixto)
03 – No Cantinho da Parede (Zé Calixto – Bastinho Calixto)
04 – 8 Baixos no Baião (Zé Calixto – Bastinho Calixto)
05 – Laura (João Silva – Anatalício)
06 – Pedido de Casamento (Lindolfo Barbosa)
07 – Vou Ver Luzia (Lindolfo Barbosa – Antônio Barros)
08 – Triste Solidão (J. R. de Castro – Leny de Castro)
09 – Na Casa do Seu Mané (Zé Bezerra – Bastinho Calixto)
10 – Pife nos 8 Baixos (Wilson Nascimento – Bastinho Calixto)
11 – Sanfoneiro Mole (João Mossoró – Abdon Santos)
12 – Quadradinho (Assis Barros – Sebastião Rodrigues)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Joci Batista – Choveu mulher no forró

capa3

Esse disco do Joci Batista é uma colaboração de Celso Neves, de Montes Claros – MG, apreciador e colecionador de discos de música regional desde 1992. Ele disse as seguintes frases:

“Ai vai mais uma contribuição, para engrandecer esta grande preciosidade que é este trabalho de divulgação de nossas raízes.”

‘… o forró é um ritmo muito bom e com letras que “mexem”, com o emocional das pessoas, pois retratam o cotidiano da vida com simplicidade.’

Para nosso colaborador, os destaques desse LP são as faixas “Os Cabeludos” e “Festão”, ambas de autoria do próprio Joci Batista.

Joci Batista – Choveu mulher no forró
RS

* 01. Os cabeludos (Joci Batista)
* 02. Briga de artista (Durval Vieira)
* 03. Garota boa (Joci Batista – José Batista)
* 04. O blusão da Terezinha (Joci Batista – Zezé Martins)
* 05. Minha morena me deixou (Joci Batista)
* 06. Voltei para o mesmo lugar (Joci Batista – Maria Dilmar)
* 07. O circo chegou (Joci Batista – Maria Dilmar)
* 08. O canto da ema (Ayres Viana – Alventino Cavalcante – João do Vale)
* 09. Festão (Joci Batista)
* 10. Choveu mulher no forró (Duda Santos)
* 11. A velha é minha sogra (Joci Batista)
* 12. Deu a louca e se mandou (Joci Batista)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Zenilton – Forró pra frente

capa_frente1

Depois de alguns pedidos, eis aqui o disco “Forró pra frente” gravado em 1970 pela Chantecler. Zenilton, muito conhecido pelos seus xotes de duplo sentido comecou sua carreira com um estilo um pouco diferente. Seus primeiros LPs pela Chantecler, no final dos anos 1960 traziam uma versão do Zenilton mais comportada.

capa_verso

Nesse disco Zenilton mostra por que será uma das grandes atrações do Festival Rootstock 2008 regrava “Xodó de motorista”, música de Elino Julião e Dilson Dória lançada originalmente no ano anterior na coletânea “O fino da roça” na voz do próprio Elino Julião e que teve sucesso na voz de Jackson do Pandeiro que a gravou também em 1970.

Zenilton – Forró pra frente
Chantecler – 1970

#01. Apolo 100 (René Bittencourt – Francisco Xavier)
#02. Quase nada (José Ramos – Poly)
#03. Chorando por você (Cícero Constâncio)
#04. Xodó de motorista (Elino Julião – Dilson Dória)
#05. Saudade de Caruaru (Guriatã de Coqueiro – Zé do Baião)
#06. Maria clara (Demetrius)
#07. Forró na casa de farinha (Zenilton – Rago)
#08. O burro (Elino Julião)
#09. Chega de esperar você (Zenilton)
#10. Saudade do meu lugar (Carlos Diniz)
#11. De que valeu (José Augusto)
#12. Severino Mac Cartney (Demetrius)

Para baixar esse disco, clique aqui

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Genival Lacerda – As riquezas do Brasil

genival-frente

Um disco do Genival que comprei, há um bom tempo, num sebo lá do centro de Sampa, numa das primeiras incursões que lá fiz acompanhado do meu camarada DJ Tick, lembro-me que naquele dia, compramos tantos discos que deu um trabalho cão para trazê-los pra casa.

genival-foto1

Genival Lacerda é natural de Campina Grande – PB e começou sua carreira ao mudar-se para a cidade de Recife – PE, na década de 50. Gravou o seu primeiro disco em 1955, e, desde então, gravou em média um álbum por ano, hoje tem bem mais de 100 discos, entre LPs, 78 rotações, compactos e CDs. Em 1964, através de Jackson do Pandeiro, mudou-se para o Rio de Janeiro – RJ.

genival-verso

Artista de enorme popularidade no nordeste, especializou-se nas letras de duplo sentido, certamente, um dia, terá sua obra estudada, sem preconceito. Quem sabe, quando isso acontecer, ele não seja visto tão superficialmente como acontece hoje. É preciso entendê-lo, não apenas como um oportunista malicioso, mas também como um trovador sertanejo atingido pela sociedade de consumo. (Releitura de um trecho extraído do Tablóide digital)

Produção executiva de Lindolfo Barbosa e Talmo Scaranari, direção artística de Luiz Mocarzel e arranjos de Sivuca. Destaque para “Acabou o gás”, para a faixa título “As riquezas do Brasil” e para “A topada da menina”.

Genival Lacerda – As riquezas do Brasil
1980 – Copacabana

* 01. O disco (Bráulio de Castro – Graça Góis)
* 02. Ô menina, chega cá (Dominguinhos – Guadalupe)
* 03. Acabou o gás (Jota Lima – Graça Góis)
* 04. Nordeste capital São Paulo (Bráulio de Castro – Graça Góis)
* 05. O dedo (Gaúcho da Fronteira)
* 06. Saudade de Mariana (João Caetano – Graça Góis)
* 07. As riquezas do Brasil (Durval Vieira – Tony Dim)
* 08. A topada da menina (Genival Lacerda – Antonio Clemente)
* 09. A diferença do rico e do pobre (Luiz Boquinha – Graça Góis)
* 10. O vendedor de purgante (Luiz Vieira)
* 11. Apelo de caboclo (José Orlando – Graça Góis)
* 12. Quer vender eu compro (Durval Vieira – Zé da Silva – Graça Góis)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Ary Lobo – Zé Mané no côco

capa-ary-lobo

Gabriel Eusébio dos Santos Lobo, nascido em Belém – PA, dia 14/08/1930, ficou conhecido como Ary Lobo, cantor e compositor com mais de 700 músicas gravadas, por ele e outros cantores, músicos e intérpretes.

Começou se apresentando em programas de calouro na Rádio Clube do Pará, quando ainda era soldado da aeronáutica. Foi para o Rio de Janeiro e em 1958 gravou o seu primeiro disco, pela RCA, depois disso ainda emplacou vários sucessos nos anos 50 e 60 em seus nove LPs lançados pela RCA.

contra-capa-ary-lobo

O audio é mais uma colaboração de Thiago Silva, de Recife – PE, que nos mandou esse disco do Ary Lobo com uma qualidade incrível. Agradeço também, mais uma vez, ao amigo e colaborador o DJ Rick, de São Paulo, pelas capas que prontamente nos enviou.

Perguntei ao Thiago o que podia me falar sobre o disco, ele disse:

‘não tenho muita coisa a acrescentar não, sei que esse disco já teve um pré-lançamento e foi o que fez mais sucesso. Destaco a faixa “Joá sem espinho” e também a música “Zé mané no coco”.’

Ary Lobo – Zé Mané no côco
1965 – RCA Victor

1. Cheiro da Gasolina (Severino Ramos / Barros de Oliveira)
2. Madame Paraíba (Dilson Dória / Ari Lobo)
3. Rita Peneira (Severino Ramos / Tertuliano da Silva)
4. Batuque de Índio (Buco do Pandeiro / José Santana)
5. Adão Pecou (Luis Boquinha / Ari Custódio)
6. Volta Pra Casa Menina (Zé Araújo / J. C. Souza)
7. Sinhá Olimpia (Germano Jr. / J. C. Souza)
8. Baião Macumba (Evaldo Gouveia / Julinho)
9. Zé Mané no Coco (Luis Moreno / J. Massula)
10. Joá Sem Espinho (Zeguimar / Aricó Silva)
11. Cadê Mãe (J. Cavalcanti / Ari Lobo)
12. Mensagem ao Divino (J. Cavalcanti)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Jacinto Silva – 78RPM

Outra colaboração do Thiago Silva, de Recife – PE, outra raridade, um 78 RPM do Jacinto Silva. Infelizmente ele não conseguiu fotografar o rótulo, se alguém tiver o disco e puder nos mandar fotos dos rótulos, publicaremos posteriormente. Ele fez o seguinte comentário sobre o disco:

“São duas músicas de grande sucesso dele, ‘Aquela rosa’ foi umas das músicas mais tocadas na época, foi gravado na Rosemblit, antiga Mocambo, em Recife – PE, e tem o acompanhamento da raça de Martins da sanfona.”
A Foto foi extraída do JC online, assim como o trecho seguinte: ‘Ele começou a gravar, em 1959, na extinta Rozemblit, pela qual lançou seus primeiros sucessos, “Chora Bananeira” e “Aquela Rosa”. O auge de sua carreira, porém, foi na CBS onde gravou de 1963 a 1973.’

Jacinto Silva – 78RPM
1964 – Mocambo

01. Aquela Rosa (Jacinto Silva) Marcha de roda

02. Na Base Do Tamanco (Jacinto Silva / José Maurício) Coco

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Video com Jackson do pandeiro

Esse é outro video que o Cacai Nunes nos passou, é também um registro do Programa Ensaio, veiculado pela TV Cultura e gravado por ele. Felizmente pessoas como ele se preocupam em dividir esse material. no video, Jackson canta 03 músicas que ele mesmo intitula como”…de carnaval”.

Cacai é músico, DJ e produtor musical, de Brasília – DF e tem um blog onde também divulga a cultura brasileira, o Acervo Origens.
1 2 3 4

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook