Trio Mossoró – Compacto simples

selo a p

Colaboração do Jhonatas Pasternack, de São Paulo – SP.

selo b p

“Segue um compacto gravado pelo Trio Mossoró, a música ‘Orós’ foi lançada no Lp Rua do Namoro de 1962 e a música ‘Carcará’ no LP Quem Foi Vaqueiro de 1965, resta saber a data no qual o compacto foi lançado.”

Trio Mossoró – Compacto simples
Copacabana

01 Carcará (João do Vale – José Candido)
02 Orós (Oséas Lopes – Heraldo Monteiro)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Foto – Trio Mossoró

Trio Mossoro

*foto originalmente publicada no livro “O Fole Roncou”, de Carlos Marcelo e Rosualdo Rodrigues.

Livro – Minha História – Oséas Lopes, Trio Mossoró a Carlos André

Minha Historia - Oseas Lopes, Trio Mossoro a Carlos Andre - Livro (1)

Colaboração do Higino Canuto Neto, de Juazeiro – BA

Minha Historia - Oseas Lopes, Trio Mossoro a Carlos Andre - Livro (2)

“…Por nisso falar, o texto que lhe encaminhei para publicação sobre o João Mossoró acabou saindo, parte dele, na biografia de Oséas Lopes (depois, Carlos André) no capítulo dedicado ao Trio Mossoró.

contracapa livro oseas lopes p

Descobri por acaso, um amigo me informou. Pena, não fizeram a citação do Forró em Vinil que foi o primeiro Blog a publicar, e onde, de fato, foi feita a pesquisa.”

post image

Texto – João Mossoró, o canto do Nordeste na voz de um menestrel – por Higino Canuto Neto

Foto e texto enviados pelo Higino Canuto Neto, de Juazeiro – BA

“João Batista Almeida Lopes, conhecido artisticamente por João Mossoró, começou a carreira musical em 1956, quando participou com seus irmãos Oséas Lopes e Hermelinda, do lendário Trio Mossoró, uma homenagem à cidade natal, no Estado do Rio Grande do Norte.

Com a formação do Trio Mossoró, com Oséas na sanfona, Hermelinda no triângulo e João Mossoró no zabumba, o grupo seguiu a mesma estética introduzida por Luiz Gonzaga, caracterizada pela forte representação nordestina, nas vestimentas com o gibão e o chapéu de couro e nas músicas a cadência rítmica alegre e festeira do xote, do xaxado e do baião.

Apadrinhado por personalidades como José Messias, que atualmente é jurado do programa do Raul Gil e o poeta cantador Luiz Vieira, o Trio teve o privilégio de contar com a parceria de grandes compositores como Antonio Barros, Cecéu, Anastácia, Dominguinhos e o maranhense João do Vale.

Em 1965, conquistaram o troféu Elterpe, o prêmio de maior importância da Música Popular Brasileira, na época. A cerimônia de premiação aconteceu no Palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, tendo como sucesso premiado a música “Carcará”, composta por João do Vale e José Cândido. No mesmo ano, Maria Bethânia também gravou a canção que se tornou sucesso nacional e símbolo da resistência do povo nordestino ante as agruras da seca e o sistema repressor ditatorial que governava o Brasil na época.

Durante o tempo em que tocava nos programas na Rádio Mairink Veiga, João Mossoró conheceu e trabalhou com Luiz Gonzaga, tocando zabumba. Pelo Rei do Baião foi apelidado de Cibito, numa referência às suas pernas, cuja alcunha providenciou gravar em seu instrumento a frase “Cibito – O rei do zabumba”.

O Trio Mossoró se desfez em 1972 com 12 LP´s gravados, verdadeiras referências do cancioneiro nordestino em todo o Brasil. Em carreira solo, João Mossoró se manteve fiel às suas raízes, divulgando a sua arte como um menestrel dos cantares e saberes do povo nordestino.

Em 2004 o artista concretiza o seu desejo de prestar uma homenagem ao seu ídolo maior – Luiz Gonzaga, gravando o CD ‘O Mito e a Arte de Luiz Gonzaga’, com reconhecimento pelo critico e historiador musical Ricardo Cravo Albin, que dedicou todo um programa transmitido pela Rádio MEC à divulgação do trabalho. O Sucesso do disco rendeu um novo álbum: ‘O Mito e a Arte de Luiz Gonzaga’ – volume 2, complementando o ciclo de homenagens, prefaciado pelo Cravo Albin que escreveu: ‘bela voz, lindo repertório, tudo isso faz deste disco uma alegria em ligar o aparelho de som, no mais das vezes, emudecido por lançamentos bisonhos, quase insuportáveis’.

Em seu mais recente CD ‘Conexão Nordeste – O Arauto das Raízes Nordestinas’, João Mossoró interpreta canções de outros artistas também consagrados (Belchior, Chico Salles, Gonzaguinha, Nando Cordel, Dominguinhos, dentre outros), como num reconhecimento pela cumplicidade em produzir música de qualidade inspirado pela essência que brota do interior profundo do nordeste brasileiro.

Juntamente com seus irmãos Oséas e Hermelinda, João Mossoró insere o estado do Rio Grande do Norte na geografia musical brasileira, com a mesma grandiosidade com que Jackson do Pandeiro introduziu a Paraíba, com a mesma intensidade com que João do Vale revelou o Maranhão e o mesmo ideal e devoção com que Luiz Gonzaga apresentava ao Brasil o seu estado Pernambuco, carregando todo o sentimento nordestino em sua genialidade musical.

João Mossoró é um arauto, um menestrel, um dos últimos ícones do forró em plena atividade, contemporâneo de outros forrozeiros históricos que o Brasil precisa reconhecer e aplaudir em sua grandiosidade.”

Contato:
João Mossoró
joaomossoro@yahoo.com.br>
Telefone: 0xx.21.3437.9847

post image

Trio Mossoró – Rua do namoro

Colaboração do José de Sousa, de Guarabira – PB

Raro disco do Trio Mossoró, lançado pelo selo SOM, um dos selos da Copacabana.

Trio Mossoró – Rua do namoro
1968 – SOM

01. Rua do namoro (João do Vale – Ary Monteiro – Gerson Filho)
02. Liro he (J.B. Aquino – Oséas Lopes)
03. Xaxado de Mossoró (Francisco Abalada – Almeida Lopes)
04. O nome é que atrapaia (Elias Soares – Sebastião Rodrigues)
05. Jogo do amor (Eraldo Monteiro – Almeida Lopes)
06. Tira o coco Bené (João do Vale – José Candido)
07. Lavadeira e o lavrador (João do Vale – Ary Monteiro)
08. Orós (Oséas Lopes – Eraldo Monteiro)
09. Capital da ilha (João do Vale – Luiz Guimarães)
10. Saudades de Mossoró (Antonio Ramos – Oséas Lopes)
11. Porque deixei meu sertão (João do Vale – Eraldo Monteiro)
12. Matei sete gatos (Buco do Pandeiro – Vaz da Eira)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Coletânea – Pula a fogueira vol.2

Colaboração do Lourenço Molla, de João Pessoa – PB

A cada coletânea a gente descobre alguns artistas que ainda não conhecia…

Dessa coletânea participaram: Toinho de Serrinha, Trio Mossoró, A Turma do Pirulito, Manoel Serafim, Coroné Pereira e sua gente, Tino Francisco e Zeferino e sua gente.

Coletânea – Pula a fogueira vol.2
1992 – CID

01. Anarriê no arraiá (Ademar Philot) Toinho de Serrinha
02. São João chegou (Cecéu) Trio Mossoró
03. A roça é nossa (João Silva – Anatalício) Toinho de Serrinha
04. Amigo velho tocador (João Silva – Zé Mocó) A Turma do Pirulito
05. Vem amor (Manoel Serafim – Hamilton de Oliveira) Manoel Serafim
06. Lá vem São João (Gaguinho) Toinho de Serrinha
07. Quadrilha brasileira (Gerson Filho – M. Aguiar) Zeferino e sua gente
08. É proibido cochilar (Antonio Barros) Coroné Pereira e sua gente
09. Ciranda da bananeira (Elias Soares – Tino Francisco) Tino Francisco
10. Prece a Santo Antonio (Paquito – Romeu Gentil) Zeferino e sua gente

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Trio Mossoró – Trio Mossoró

O áudio é uma colaboração do José de Sousa, de Guarabira – PB, as capas são minhas.

O repertório é dividido entre os 3 vocalistas, Hermelinda, Oséas e Almeida Lopes.

Os arranjos são bem leves e o repertório não é só de forró, a música com um formato mais próximo dos forrózões que a gente gosta é “A canção do ceguinho” de Elias Soares.

Trio Mossoró – Trio Mossoró
1971 – Musicolor

01. Sá Marina (Antônio Adolfo / Tibério Gaspar)
02. O garimpeiro (Francisco Xavier / Paulo Sette)
03. Rhembi (Luiz Vieira)
04. Tambor de índio (Zenovely / Marcus de Almeida)
05. O bonde (José Cândido)
06. Ninguém come sem tempero (Oséas Lopes / José Cândido)
07. Cidade das rosas (Miguel Lima)
08. Nossa vez (Luiz Vieira)
09. Amor ingrato (Alexandre Alves / Zito de Souza)
10. Omissão (Almeida Lopes / Gebardo Moreira)
11. Apelo ao vento (José Cândido / Osvaldo Eurico)
12. Antônio desfilando na parada (Irney Reis)
13. A canção do ceguinho (Elias Soares)
14. Barril de chopp (Beer barrel polka) (Jaromir Vejvoda / Wladimir A. Timm / Lew Brown)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Trio Mossoró – Convocação

Colaboração do José de Sousa, de Guarabira – PB

Um disco com arranjos leves, nem todas as músicas são dançantes, destaque para “Procissão” de Gilberto Gil; e para “Zé ninguém” de Almeida Lopes e Gebardo Moreira.

Trio Mossoró – Convocação
1967 – RCA Victor

01. Convocação (Luiz Vieira)
02. O retirante (Almeida Lopes / Gebardo Moreira)
03. Quero ver se não vai dar (Almeida Lopes / Gebardo Moreira)
04. Amor da minha vida (Raul Sampaio / Benil Santos)
05. Procissão (Gilberto Gil)
06. Parei de andar (Almeida Lopes / Édson Braga)
07. Boiadeiro (Amim Sáfady)
08. Carro de boi (Geraldo Nunes)
09. Zé ninguém (Almeida Lopes / Gebardo Moreira)
10. As três Marias (Geraldo Nunes / Coronel Narcizinho)
11. Garimpeiro (Rildo Hora)
12. Linda brejeira (Rui de Morais e Silva / Joaquim Lima)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Trio Mossoró – Transamazônica

O áudio é uma colaboração do José de Sousa, de Guarabira – PB

As capas foram enviadas pelo DJ Vini, de Belo Horizonte – MG

Esse é o sétimo disco da carreira do trio, e foi lançado após dois anos sem gravar.

Trio Mossoró – Transamazonica
1972 – Copacabana

01. Transamazônica (João Mossoró / Gebardo Moreira)
02. Recado do norte (Manoel Rufino / Eriberto Rufino)
03. Consolidação (Aramis de Lara)
04. O canto do nordeste (Enock Figueiredo / Hugo Lisboa)
05. Vendaval (João Mossoró / Gebardo Moreira)
06. Tributo a Mossoró (Oséas Lopes / J. Cavalcanti / A. Acarrasco)
07. Coração não vá embora (Antônio Valentim)
08. Rua do namoro (João do Vale / Ari Monteiro / Gerson Filho)
09. Princesa do Miarim (João do Vale / Oséas Lopes)
10. João Amém (Hélio Matheus / Jacobina)
11. Os óio de Anabela (João do Vale / Julinho)
12. Pequiniquê (João Mossoró / Abdon Santos)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Trio Mossoró – Quem foi vaqueiro

O áudio é uma colaboração do José de Sousa, de Guarabira – PB, as capas foram enviadas pelo DJ Vinny de Belo Horizonte – MG.

Um raro disco do Trio Mossoró.

Destaque para “Carcará” de João do Vale e José Cândido; e para “A topada da menina” de Genival Lacerda e Antonio Clemente.

Trio Mossoró – Quem foi vaqueiro
1965 – Copacabana

01. Quem foi vaqueiro (João do Vale / Luis Guimarães)
02. Carcará (João do Vale / José Cândido)
03. Mineiro pau (Adpt. Genival Lacerda / Adpt. Antônio Clemente)
04. Candomblé da Bahia (Genival Lacerda / Antônio Clemente)
05. Revendo Mossoró (Antônio Ramos / Oséas Lopes)
06. O tricô da Carolina (Genival Lacerda / Antônio Clemente)
07. A topada da menina (Genival Lacerda / Antônio Clemente)
08. João do Maranhão (Osvaldo Teixeira Mendes / Vadoca)
09. Curió (J. Cavalcanti / J. Olegário)
10. Só pago devendo (Raimundo Evangelista / Oséas Lopes)
11. Como tu tá Maria (Oséas Lopes / Manoel Euzébio)
12. Pula-pula (Gomes Cardim)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

1 2 3

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook