post image

Gerson Filho – Retalhos do Nordeste

Colaboração do José de Sousa, de Guarabira – PB

Clemilda canta as faixas “O forró da Coréia” de Elino Julião e Oliveira Batista; “De que se admirou” de S. Filho e Ataide Pereira; “Aquela rosa” de Jacinto Silva; “Dança do Toré” de Jacinto Silva e Rangel; “Na pisada sinhá” de S. Filho e Albuquerque; e “Verde só mandacarú” de Josa e Albuquerque.

Gerson Filho – Retalhos do Nordeste
1966 – RCA Victor

01. Retalhos do nordeste (Ataide Pereira / Ari Rangel de Sales)
02. O forró da Coréia (Elino Julião / Oliveira Batista)
03. Meu sertão meu sertãozinho (Gerson Filho / Sebastião Rodrigues)
04. De que se admirou (S. Filho / Ataide Pereira)
05. Soltei o gato (Adão Ferreira / Zé Araújo)
06. Aquela rosa (Jacinto Silva)
07. Dança do Toré (Jacinto Silva / Rangel)
08. Segure o dedo (Josa / Oliveira Batista)
09. Na pisada sinhá (S. Filho / Albuquerque)
10. Na fazenda do Reizinho (Albuquerque / Demetrio Silva)
11. Verde só mandacarú (Josa / Albuquerque)
12. Varandão da fazenda (Gerson Filho / Rangel)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Severino Januário – No forró

Colaboração do José de Sousa, de Guarabira – PB

João Silva canta 04 faixas do disco, são elas: “Moreninha linda” de Rocha Sobrinho, “Forró do Mané Paulo” de Oliveira Batista, “Costume sertanejo” de Gerôncio Cardoso; e “Eu e mais ninguém” de Alexandre Mello e Severino Ramos.

Severino Januário – No forró
1966 – RCA Victor

01. Moreninha linda (Rocha Sobrinho) João Silva
02. Forró do Zé Kelé (Manoel Euzébio)
03. Cabocla do Pilar (Alexandre Mello / Juvenal Marques)
04. Forró em Guarujá (Pantaleão / Rangel)
05. Bate bate coração (Demetrio Silva / Reinaldo Fernandes)
06. Forró do Mané Paulo (Oliveira Batista) João Silva
07. Costume sertanejo (Gerôncio Cardoso) João Silva
08. Forró em Saquarema (Gerôncio Cardoso)
09. Desperta nordeste (Adão Ferreira)
10. Forró no Carié (Milton Santos / Albuquerque)
11. Eu e mais ninguém (Alexandre Mello / Severino Ramos) João Silva
12. Forró Em Araripina (Tito Martins / Edenal Rodrigues)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Marines e Sua Gente – Meu Benzim

marines-e-sua-gente-1966-meu-benzim-capa

O áudio é uma colaboração do Ademir Leite, as capas são uma cortesia do DJ Vini, de Belo Horizonte – MG.

marines-e-sua-gente-1966-meu-benzim-selo-amarines-e-sua-gente-1966-meu-benzim-selo-b

Esse é o último disco que faltava da fase inicial da Marinês, da década de 1960, pra gente publicar aqui no ‘Forró em vinil’.

marines-e-sua-gente-1966-meu-benzim-verso

Destaque para “Se a polícia chegar” de Onildo Almeida.

Marines e Sua Gente – Meu Benzim
1966 – RCA Victor

01. É amor é saudade (Onildo Almeida)
02. Tesourão (João Silva / Manoel Euzébio)
03. Ingazeira da saudade (João Silva / Albuquerque)
04. Pica-pau (João Silva / Rangel)
05. Meu benzim (Luis Guimarães)
06. Rei do cangaço (Onildo Almeida / Agripino Aroeira)
07. Minha açucena (Onildo Almeida)
08. A Volta do baião (João Silva / K-Boclinho)
09. Despedida de amargar (João do Vale / Luis Guimarães)
10. Macaco de cheiro (João Silva / José Pereira)
11. Se a polícia chegar (Onildo Almeida)
12. Xavier e seu forró (João Silva / Sebastião Rodrigues)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Trio Mossoró – De Norte a Sul

trio-mossora-de-norte-a-sul-capa

Colaboração do DJ Cris, de São Paulo – SP.

Esse é um dos primeiros LPs do Trio Mossoró, lançado pela Copacabana em 1966, produzido por Altamiro Carrilho, com acompanhamento do Regional de Arlindo.

trio-mossora-de-norte-a-sul-selo-atrio-mossora-de-norte-a-sul-selo-b

“Por que não se dar uma forma mais moderna ao nosso imorredor Baião? Sim, amigos. Faltava alguém inteligente e corajoso para tal. Agoa quando ouvirem o ‘Trio Mossoró’ de Norte a Sul, sentirão algo diferente: ‘O Baião está de roupa nova'” (Trecho extraído da contra capa)

trio-mossora-de-norte-a-sul-verso

Hermelinda divide o repertório com o irmão e regente do Trio, Oséas Lopes.

Destaque para “Carcará de botina e chapelão” de Luiz Vieira, cantada pela Hermelinda; e para “Cruzeiro forte”, uma paródia de ‘Dezessete e setecentos’ de Luiz Gonzaga e Miguel Lima, cantada por Oséas Lopes.

Trio Mossoró – De Norte a Sul
1966 – Copacabana

01 Negro (João Sá – Oswaldo Eurico) Hermelinda
02 Madeira Mamoré (José Cândido) Oséas Lopes
03 Carcará de botina e chapelão (Luiz Vieira) Hermelinda
04 Balãozinho japonês (Jorge Motta Vieira) Hermelinda
05 A morte do seresteiro (J. Cavalcante – Oséas Lopes) Oséas Lopes
06 Fim do mundo (Geraldo Nunes – Edson Braga) Hermelinda
07 O mestre jangadeiro (Oswaldo Eurico – Edezio Bispo) Oséas Lopes
08 Cavaco chinês (Almeida Lopes – João Sá) Hermelinda
09 Cruzeiro forte (Luiz Gonzaga – Miguel Lima) Oséas Lopes
10 Mandacarú (Fernando Lona) Hermelinda
11 Bacabal, rainha do sertão (Vadoca – Oswaldo Eurico) Oséas Lopes
12 Mangangá (Geraldo Nunes) Hermelinda

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Pedro Sertanejo – Saudade de Itapoã

1966-pedro-sertanejo-saudade-de-itapoa-capa

Colaboração do Jorge Paulo, O Bandeirante do Norte.

1966-pedro-sertanejo-saudade-de-itapoa-selo-a1966-pedro-sertanejo-saudade-de-itapoa-selo-b

Esse é um dos primeiro álbuns do Pedro Sertanejo, ainda da década de 1960, o disco teve um re-lançamento em 1968 pelo selo Musicolor.

1966-pedro-sertanejo-saudade-de-itapoa-verso

Produzido por Diogo Mulero, o Palmeira, destaque para “Cachorro do mar” de Severino Januário.

Pedro Sertanejo – Saudade de Itapoã
1966 – Continental

01. Saudade de Itapoã (Pedro Sertanejo – J. Luna)
02. Boa esperança (Pedro Sertanejo)
03. Coqueiro seco (Pedro Sertanejo – Milton José)
04. Mineirinha (Pedro Sertanejo – M. Nogueira)
05. Mimoso (Pedro Sertanejo – Waldemar)
06. Pedregulho (Pedro Sertanejo – Jair Gonçalves)
07. Olia (João Silva – Penedo)
08. Cachorro do mar (Severino Januário)
09. Festa em Jeremuabó (Pedro Sertanejo – Benevaldo Sá)
10. Maruim (Francisco Feitosa – Pedro Sertanejo)
11. A viola do Zé (José Meneses – Luiz Bittencourt)
12. Sapé (Oswaldo Silva – Castanheiro)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Noca do Acordeon – Coração de artista

noca-do-acordeon-1966-coraaao-de-artista-frente

Colaboração do Lourenço Molla, de João Pessoa – PB.

noca-do-acordeon-1966-coraaao-de-artista-anoca-do-acordeon-1966-coraaao-de-artista-b

Na autoria das músicas, lê-se o nome de Adauto Mattos, que é o verdadeiro nome do Noca do Acordeon.

noca-do-acordeon-1966-coraaao-de-artista-verso

Todas as músicas são muito bonitas, destaque para “Técnica e alma” de Adauto Mattos.

Noca do Acordeon – Coração de artista
1966 – Musicolor

01. Coração de artista (Palmeira / Adauto Mattos) Choro
02. O Rio chorou (Adauto Mattos) Choro estilizado
03. Um chorinho e dois amigos (Adauto Mattos) Choro
04. Dançando juntinho (Adauto Mattos) Choro
05. Rio menino (Adauto Mattos) Samba choro
06. Uma noite no Acre (Adauto Mattos) Baião
07. Oriente azul (Adauto Mattos) Baião
08. Baião no Japão (Ary Coutinho) Baião
09. Técnica e alma (Adauto Mattos) Choro
10. De Fortaleza a Sobral (Adauto Mattos) Choro
11. Acordes que choram (Adauto Mattos) Bolero
12. Revendo Campina Grande (Adauto Mattos) Choro

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Jackson do Pandeiro – O cabra da peste

jackson-do-pandeiro-cabra-da-peste-capa

Colaboração do José de Sousa, natural de Guarabira – PB. Curiosamente esse disco teve uma faixa censurada na época da ditadura, então garimpei a bendita faixa na rede pra completar a publicação. Segue o comentário enviado pelo José de Sousa.

jackson-do-pandeiro-cabra-da-peste-selo-ajackson-do-pandeiro-cabra-da-peste-selo-b

“Há muito tempo que eu gostaria de falar alguma coisa sobre esse disco, porém, só agora surgiu a oportunidade. Para se gravar um bom disco, com intuito de agradar o público e obter sucesso, alguns requisitos básicos não podem faltar, são eles: uma boa gravadora, um bom produtor, um bom arranjador. E é claro, um bom repertório musical.

Livrando o repertório musical, o mais; foi o que, na minha modesta opinião, faltou no LP ‘Cabra da peste’ do Jackson do Pandeiro, que, por não ter muita fidelidade com as grandes gravadoras por onde passou, onde obteve inúmeros sucessos, foi parar nessa “bendita” {prá não dizer o contrário} onde gravou esse trabalho, que eu considero o mais fraco de toda sua carreira.

jackson-do-pandeiro-cabra-da-peste-verso1

E ainda mais, na época do regime militar, que deu a bela contribuição de censurar e obrigar a retirada da música ‘Polícia feminina’ do LP, existem pouquíssimos discos desse com essa faixa, e a gravadora, por ser tão boa, não se deu nem mesmo ao trabalho de corrigir a capa.

Mas acalmando-se os ânimos, e por tratar-se de um disco do Jackson, mesmo com todos esses pesares, não deixa de ser um disco importante pra quem quer completar a coleção. não deixem de adquirir.”

O repertório é bem interessante, se formos observar com carinho, destaque para “Bodocongó” de Humberto Teixeira e Cícero Nunes, “Secretária do diabo” de Osvaldo Oliveira e Reinaldo Costa, “Capoeira mata um” de Alvaro Castilho e De Castro e “A ordem é samba” de Jackson do Pandeiro e Severino Ramos.

Jackson do Pandeiro – O cabra da peste
1966 – Continental

#01. Capoeira mata um (Alvaro Castilho – De Castro) Balanço
#02. Tá roendo (Figueirôa – Maruim) Samba
#03. A ordem é samba (Jackson do Pandeiro – Severino Ramos) Samba
#04. Pinicapau (Codó) Baião
#05. Forró quentinho (Almira Castilho) Forró
#06. Bodocongó (HUmberto Teixeira – Cicero Nunes) Baião
#07. Secretária do diabo (Osvaldo Oliveira – Reinaldo Costa) Forró
#08. Vou sambalançar (Antonio Barros – Jackson do Pandeiro) Samba
#09. Alegria do vaqueiro (Zé Katraca) Baião
#10. Forró do Biá (Luiz Moreno – Jeronimo) Forró
#11. Polícia Feminina (Severino Ramos – José Pereira) Forró
#12. Papai vai de trem (Ivo Martins – Jackson do Pandeiro) Baião

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Genival Lacerda – Este é o cobra do norte

Essa é uma colaboração inestimável do DJ Rogérinho, de São Paulo – SP. Esse é um dos discos mais raros que conheço do Genival Lacerda. Outro dia estávamos conversando e eu disse que estava a procura desse álbum, em pouquíssimo tempo o Rogérinho me aparece com o disco, e novinho, por sinal.

Tentei comprar o disco dele, mas não teve negócio, pelo menos ele me emprestou o bendito pra eu digitalizar e publicar aqui para todos conhecerem mais um pouquinho da fase inicial do Genival. Fase que é completamente diferente da fase pela qual ficou mais conhecido. Básicamente são duas fases, pré e pós 1975, ou seja, antes e depois do sucesso “Severina xique xique”.

É um enorme prazer poder manuzear e tocar raridades como essa, e prazer maior ainda de poder disponibilizar para quem se interessar possa, afinal, creio eu, somente dessa forma, o forró que tanto gosto, poderá se perpetuar. Valeu Rogerinho!!!

Genival Lacerda – Este é o cobra do norte
1966 – Polydor

01. Que malandro Você é (Elino Julião / Genival Lacerda)
02. Avião penerador (Dilson P. de Gouveia / José A. Almeida)
03. Vamos improvisar (Gordurinha)
04. Caixinha de rapé (Geraldo Nunes / Genival Lacerda)
05. É pra moer (Rosil Cavalcanti)
06. Lá vem o boi (Lindu / Zé Araújo)
07. Urubu na chapa quente (Gordurinha)
08. O gosto da bicada (Elino Julião / Genival Lacerda)
09. 007 contra o nordeste (Julio Ricardo / Álvaro Castilho)
10. Rio Bbom danando (Elias Soares / Narcizinho)
11. Coco na gameleira (Avarese / Genival Lacerda)
12. Sabe tudo (Dilson Dória / Dilson P. de Gouveia)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Trio Nordestino – O troféu é nosso

nordestino-frente

Esse é um dos primeiros discos do Trio Nordestino, a cópia que digitalizei não é das originais da Copacabana, é um re-lançamento posterior pelo selo Som, que surgiu como um dos ramos da Discos Copacabana.

nordestino-verso

Uma música que usa e abusa das nuâncias que a língua brasileira permite é “Carta 100 êrros” de Gordurinha e Geraldo Nunes, faceta explorada com sapiência quando se trata das composições mais antigas, e foi se perdendo com o passar do tempo durante a décadas de 1970 e posteriores.

Destaque para “Xaxado bossa nova” de Antônio Barros.

Trio Nordestino – O troféu é nosso
1966 – Copacabana

* 01. O troféu é nosso (Geraldo Nunes – Elias Soares)
* 02. Não me faça rir (Gordurinha)
* 03. Cabra mole (J. Cavalcante – Beto Cunha)
* 04. Passeio ao norte (Antonio Ceará – Zé Calixto)
* 05. Carta 100 êrros (Gordurinha – Geraldo Nunes)
* 06. Xaxado bossa nova (Antonio Barros)
* 07. Safra bôa (Lindolfo Barbosa – Geraldo Nunes)
* 08. Lamento (Zé Catraca – Lindolfo Barbosa)
* 09. Baiana valente (Edgard Santanna)
* 10. Bahia com B maiúsculo (Sandoval de Melo – Altair Felício)
* 11. Prece a São Benedito (Hervê Cordovil)
* 12. São João no sul (Severino Ramos – Fagundes Silva)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Avelina – Coisas do sertão

avelina-capa

Essa semana faço uma homenagem a um amigo, Francisco Barros, o Chiquinho. Ele que me apresentou este disco, foi um dos incentivadores da minha pesquisa e é um grande colecionador também, desde a época do projeto juazeiro, um dos forrós mais tradicionais de BH, até hoje em atividade.

avelina-verso

Não temos nenhuma informação sobre este disco, pois é uma gravação regional, o selo Mocambo era um selo de Recife – PE, onde gravaram artistas conhecidos no nordeste. Destaque para o xote “Tem Jacutinga” e o xaxado “Quixabeira”. (Texto e disco enviados pelo DJ Vinícius – BH)

Avelina – Coisas do sertão
1962 – Mocambo

* 01. Meu herdeiro (Pereirinha)
* 02. Bezerro de Iaiá (Heleno Silva)
* 03. Tem Jacutinga (Pereirinha)
* 04. Chô arara (Antonio Clemente)
* 05. Liá (Antonio Clemente)
* 06. Agricultor (Antonio Clemente)
* 07. Chera eu (Tem)
* 08. Leva eu também (Heleno Silva)
* 09. Guisado de Saguim (Tem)
* 10. Quixabeira (Antonio Clemente – Heleno Clemente)
* 11. Lembrança (D. Matias)
* 12. Eu não minto (João Araújo – Jonas Nunes)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

1 2 3

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook