CD – Dominguinhos – Millennium

CAPA

Colaboração do João Araujo

CD

“Coletânea contendo clássicos do mestre Dominguinhos.”

VERSO

“Compilation of the master of forró, Dominguinhos, focusing on the period 1976/1979 with “De Mala E Cuia,” “Lamento Sertanejo,” “Quero Um Chamego,” “Eu Vou de Banda,” “Chega Morena,” and “Doidinho, Doidinho.” The rest of the 17 songs are from the 1997/1998 albums, including the classics “Assum Preto,” “Qui Nem Jiló,” “Súplica Cearense,” “O Xote Das Meninas,” “Asa Branca,” “Cintura Fina,” and “Abri A Porta.” The compilation presents good moments with expressive guest stars: Ivan Lins, Tânia Alves, Guadalupe, Marinês and Alceu Valença.” (Alvaro Neder)

Dominguinhos – Millennium
1999 – Mercury Records

01. Isso Aqui Tá Bom Demais (Dominguinhos – Nando Cordel)
02. Eu Só Quero Um Xodó (Dominguinhos – Anastácia)
03.
Depois da Derradeira (Dominguinhos – Fausto Nilo)
Nem Me Deu Bola (João Silva – Zé Mocó)
04. Nas Costas Do Brasil (Dominguinhos – Clodô)
05. Assum Preto (Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira)
06. Qui Nem Jiló (Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira)
07. Súplica Cearense (Gordurinha – Nelinho)
08. Eu Vou de Banda (Dominguinhos – Anastácia)
09. De Mala E Cuia (Anastácia – Dominguinhos)
10.
O Cheiro da Carolina (Amrim Roxo – Zé Gonzaga)
O Xote das Meninas (Zé Dantas – Luiz Gonzaga)
No Meu Pé de Serra (Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira)
11. Sorriso Cativante (Dominguinhos – Anastácia)
12. Chega Morena (Dominguinhos – Climério – Guadalupe)
13. Lamento Sertanejo (Forró Do Dominguinhos)
14. De Altamira a Campina Grande (Dominguinhos)
15. Asa Branca (Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira) Musica incidental: Baião (Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira)
16. Cintura Fina (Zé Dantas – Luiz Gonzaga)
17. Doidinho, Doidinho (Dominguinhos – Anastácia)
18. Quero Um Chamego (Anastácia – Dominguinhos)
19. Légua Tirana (Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira)
20. Abri a Porta (Gilberto Gil – Dominguinhos)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Trio Pajeú – Agora é assim

capa

Colaboração do DJ Vinny, de Belo Horizonte – MG

seloaselob

Gravado em 16 canais.

verso

Destaque para “Forró tinido” de José Maury e J. Santana.

Trio Pajeú – Agora é assim
1985 – Universal

01 Agora é assim (J. Santana)
02 Meus tempos de criança (J. Santana – Nido)
03 A festa que vamos ter (J. Santana – José Maury)
04 Três santos casamenteiros (J. Santana – Ciriaco)
05 Fulo de laranjeira (J. Santana – Zizi do Nordeste)
06 Forró tinido (José Maury – J. Santana)
07 Quero ver poeira (José Maury – J. Santana)
08 O carangueijo (Noel Fernandes – J. Santana)
09 Brasil do meu coração (Vital do Piston)
10 Luzia vaqueira (José Maury – J. Santana)
11 O migrante nordestino (J. Santana)
12 Fulo da quixabeira (José Maury – Zizi do Nordeste)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Miltinho Edilberto – Como alcançar uma estrela

Quem não é de São Paulo ou quem começou a freqüentar o forró há pouco tempo, certamente não entenderá completamente a postagem de hoje, mas no final da década de 1990, Miltinho ajudou a criar o circuito do forró universitário paulista e foi durante um bom tempo uma das principais atrações para os forrozeiros da cidade, dancei muuuito ao som desse cara.

Cantor, compositor, folclorista, poeta, contador de causos, repentista, multi-instrumentista e pesquisador do folclore brasileiro, Miltinho Edilberto é considerado um dos mais completos violeiros do país. Seu trabalho transita entre diversas vertentes musicais da cultura tradicional brasileira, que vão desde o forró pé-de-serra ao trava-língua.

A capa acima foi enviada pelo ‘Jakaré’ para complementar a publicação, é a capa do re-lançamento, de 2000, com o título de “O forró de Miltinho Edilberto”, pelo selo Deck Disk.
Paulista do interior do estado, o violeiro é respeitado por medalhões da música regional como Xangai, Elomar e Renato Teixeira, de quem é afilhado musical e parceiro.

No palco, toca violão e viola de 10 cordas misturando forró com uma entonação caipira autoral, resultando numa mistura de xote, xaxado, baião e embolada, acrescida de uma boa dose de picardia. O primeiro disco, “Viola Que Fala”, de 1998, tinha pouco de forró, era um trabalho de música sertaneja de raiz, que lhe rendeu o Prêmio Sharp daquele ano na categoria regional.

Em 1999 lançou esse disco pela Universal, “Como Alcançar uma Estrela”, que mais tarde seria relançado pela Abril Music como “O Forró de Miltinho Edilberto, ao vivo”. Nessa época, Miltinho abria espaço no palco de seus shows para Janaína Pereira, que posteriormente criaria o grupo Bicho de pé; foi nesse mesmo palco que vi pela primeira vez o genial Yamandú Costa que acabara de chegar do sul e ainda não era nada conhecido.

Ouvi muito todas as músicas desse CD, sou suspeito porque elas me causam uma certa nostalgia, porém olhando agora, vejo que o “Xote da internet” continua totalmente atual, assim como “Heroína” e a minha preferida é: “Coração virado” anteriormente gravada pelo Trio Sabiá.

Miltinho Edilberto – Como alcançar uma estrela
1999 – Universal

01 – Como alcançar uma estrela (Miltinho Edilberto)
02 – O sonho (Miltinho Edilberto)
03 – Heroína (Miltinho Edilberto)
04 – Quem tá parado é viado (Miltinho Edilberto)
05 – Xote na internet (Miltinho Edilberto)
06 – Forró de viola (Miltinho Edilberto)
07 – Um beijo se quer (Miltinho Edilberto)
08 – Mar tá pra peixe (Miltinho Edilberto)
09 – Luz do desejo (Miltinho Edilberto)
10 – Maria Joana (Miltinho Edilberto)
11 – Coração virado (Miltinho Edilberto)
12 – Não há nada igual ao forró (Miltinho Edilberto)
13 – Nóis é jeca mais é jóia (Juraildes da Cruz)
14 – The end (Miltinho Edilberto)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook