CD – Caju & Castanha – Vindo Lá da Lagoa

Colaboração do sergipano Everaldo Santana

Um dos trabalhos mais recentes da dupla de repentistas emboladores.

Ao contrário da maioria dos discos as músicas são todas autorais, nesse disco quase nenhuma é deles.

Para os fãs da dupla uma pergunta, creio que nesse disco um dos integrantes mudou, é isso mesmo?

Caju & Castanha – Vindo Lá da Lagoa
2000 – Trama

01 – Mulher de amigo meu (N. Silva – Bráulio de Castro)
02 – Vindo lá da lagoa (Walter dos Afogados – Castanha, Caju)
03 – Casa de corno (Bráulio de Castro)
04 – Zé Vigia (N. Silva – Bráulio de Castro)
05 – O Filho do Dr. e a criança abandonada (Pinto Cantador)
06 – Desafio do Fla-Flu
07 – A Mulher do corno rico x a do corno pobre (Téo Azevedo – Bráulio de Castro – Caju)
08 – Favela da Rocinha (Djalma Gomes – Castanha – Caju)
09 – No aboio de vaqueiro (José Rico – Téo Azevedo)
10 – Purucutruco (Bráulio de Castro)
11 – Bigorrilho (Paquito – Sebastião Gomes – Romeu Gentil)
12 – Forrómangue (João Paulo Jr.)
13 – Embolando na embolada (Castanha – Caju – Albiratan de Melo)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Banda de Pífanos de Caruarú – No século XXI, no pátio do forró

Esse é um dos trabalhos mais recente da tradiconal Banda de Pífanos de Caruarú.

Banda familiar que se renova a cada geração da família Biano.

Produzido e gravado em São Paulo, com músicos de apoio e toda a tecnologia já disponível.

Destaque para a re-gravação de “Forroziar” de Geraldo Azevedo e Carlos Fernando.

Banda de Pífanos de Caruarú – No século XXI, no pátio do forró
2003 – Trama

01 Marina (João Biano)
02 Pimenta malagueta (Sebastião Biano)
03 Caruara Caruaru (Lídio Cavalcanti – Sebastião Biano)
04 Casaca de couro (Rui Moraes e Silva)
05 Jackson o rei do pandeiro (João Biano)
06 Sonho (Sebastião Biano – João Biano – Amaro Biano)
07 Viúva boa (Anastácio do Rojão)
08 O canto da ema (Ayres Viana – Alventino Cavalcanti – João do Vale)
09 Pot-Pourri de ciranda (João Biano)
10 Forroziar (Geraldo Azevedo – Carlos Fernando)
*Música incidental Asa branca (Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira)
11 No pátio do forró (João Biano – Gilberto Biano)
12 Pisada do gato preto (Sebastião Biano – João Biano – José Biano)
13 Carupina (Alcymar Monteiro)
14 A vida do viajante (Luiz Gonzaga – Hervé Cordovil)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Banda de Pifanos de Caruaru – Tudo isso é São João

img_0079

Após 19 anos sem gravar, a Banda de Pífanos de Caruaru lança seu primeiro CD “Tudo Isso É São João”, no mesmo ano em que perde Benedito Clarindo Biano, um de seus fundadores. Hoje com 84 anos ou mais de história, a banda continua familiar, nesse disco era composta por Sebastião Biano (pífano), Amaro Biano (surdo/voz), José Biano (prato/voz), Gilberto Biano (caixa/voz) e João Biano (zabumba/voz), além da participação de Oswaldinho do acordeon.

‘A palavra pífano deriva do verbo germânico “pfeiffen” (assoprar). A origem do pífano, remonta aos beduínos orientais e berberes norte-africanos, povos árabes que dominaram por quase um milênio as terras da Espanha e Portugal. Embora a flauta já existisse na Europa, tocada da boca pra fora, longitudinalmente, a forma transversa caracteriza um modo tipicamente árabe de tocar o instrumento.

Em Portugal no século XVI, o Renascimento e a influência cristã promoveram a instauração de uma cultura, “puramente” européia, chegando o clero a condenar o uso de escalas musicais árabes nas músicas. Tal proibição não vingou entre as classes mais baixas que continuaram utilizando o pífano , a rabeca e a viola.

Foram estes, os degradados, aventureiros, gente do povo, os que não se despiram do que haviam aprendido com a presença árabe e judia na Ibéria dominada, que embarcaram nas primeiras naus a aportarem no Brasil.

Uma vez por aqui, não houve patrulha quanto a modos, ou sonoridades. Aconteceu o inevitável: da miscigenação com sonoridades negras e indígenas. Marcados pelo ritmo, pulsante e colorido estes toques rústicos são ainda hoje executadas por pífanos, tarol, prato, caixa, surdo e prato e , dependendo do lugar, com triângulo e ganzá.

Seja Cabaçal, Zabumba, Banda de Pífanos na Bahia ou Esquenta Mulhé, as bandinhas ainda hoje tocam em festejos religiosos, comícios, enterros, batizados e em demostrações públicas em todos os estados nordestinos.’ (Trexos extraídos do sítio Música nordestina)

Banda de Pifanos de Caruaru – Tudo isso é São João
1999 – Trama

* 01. Assum preto (Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira)
* 02. Sanfoneiro contratado (Francisco Azulão – Genésio Guedes)
* 03. Balão azul (Sebastião Biano)
* 04. Capital do agreste (Onildo Almeida – Nelson Barbalho)
* 05. Cana caiana (Alceu Valença)
* 06. Isso aqui tá bom demais (Nando Cordel – Dominguinhos)
* 07. Petrolina, Juazeiro (Jorge de Altinho)
* 08. Asa Branca (Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira)
* 09. Zoar (Zé da Flauta – Carlos Fernando)
* 10. Carapéba (Julinho – Luiz Bandeira)
* 11. Tudo isso é São João (Onildo Almeida)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook