Severino Januário – Véio Januário

Capa

Colaboração do Lourenço Molla, de João Pessoa – PB

Selo ASelo B

Como não há uma foto na capa, ficamos em dúvida se seria realmente do Severino Januário.

Verso

“…acredito que seja Severino Januário, até porque a maioria das músicas é dele e o som do fole lhe é peculiar, assim um tanto arrastado como na maioria dos LPs dele.”

Severino Januário – Véio Januário
1980 – Seta

01. Coco catolé (Severino Januário – Pedro Maranguape)
02. Arrastapé do meu padrinho (Severino Januário – Pedro Maranguape)
03. Xote cheroso (Severino Januário – Pedro Maranguape)
04. Vereda grande (Severino Januário)
05. Cacimbão (Severino Januário – Pedro Maranguape)
06. Fole enjoado (Severino Januário)
07. Cabra enjoado (Severino Januário – Pedro Maranguape)
08. Me dê um chero (Severino Januário – Pedro Maranguape)
09. Confusão (João Barone)
10. Sai da frente (Severino Januário – Adilson Bitencourtt)
11. Forró na avenida (Severino Januário – Pedro Maranguape)
12. Estação do Braz (Manoel Maurício)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Vanja Orico – Vanja Orico

Colaboração do Jorge Paulo, o Bandeirante do Norte

Vanja Orico, nome artístico de Evangelina Orico, nascida no Rio de Janeiro, em 15 de novembro de 1929, cantora, atriz e diretora brasileira.

Surgiu no cenário artístico cantando ‘Mulher rendeira’, tema do filme “O Cangaceiro” (1953), de Lima Barreto, mas começou sua carreira cantando no filme “Mulheres e Luzes”, em 1950, de Federico Fellini. De volta ao Brasil, fez sua estréia no cinema brasileiro no clássico ‘O cangaceiro’, premiado no Festival de Cannes e sucesso no mundo inteiro, o que rendeu a ela o reconhecimento internacional, gravou discos na França e foi recordista de vendas no Brasil. Foi capa das principais revistas da época.

Uma marca forte da sua trajetória no cinema é sua presença em vários filmes do Ciclo do Cangaço, do qual é uma das musas. Além do citado O cangaceiro, também participou de Lampião, o rei do cangaço (1964), Cangaceiros de Lampião (1967) e Jesuíno Brilhante, o cangaceiro (1972).

Em 1981, lançou mais um LP pelo selo Seta, no qual incluiu “Lamento de um homem só” (Carlos Lyra e Vinicius de Moraes), “Varandas antigas” (Kleidir Ramil e Fogaça), “Quem dá mais” (Noel Rosa) e “Acorda, Maria Bonita”, adaptação do folclore brasileiro por Marcus Vinícius.

Vanja Orico – Vanja Orico
1981 – Seta

01. Bandeira da vida (Herberto Filho)
02. Pra quê (Vicente Matos / Carlito Cavalcanti)
03. Lamento de um homem só (Carlos Lyra / Vinicius de Moraes)
04. Roda morena (Jurandir)
05. Viaduto do chá (Afonso Gentil / Vladimir Capella)
06. Canto xavante (Adpt. Tereeuá / Adpt. Ary Sperling / Adpt. João Rebouças / Adpt. Josias Cordeiro)
07. ”Seleção de temas de Mulher Rendeira”
Mulher rendeira (Tradicional)
Acorda Maria Bonita (Volta Seca)
08. Encontro das águas (Herberto Filho)
09. Joana Calunga de Louça (Reinaldo Jardim / Paulo Magalhães)
10. Um pequeno nada (Catulo de Paula / Antônio Carlos de Souza e Silva)
11. Varandas antigas (Kledir Ramil / Fogaça)
12. Quem dá mais (Noel Rosa)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook