post image

Paulo Tito – Baiano da Guanabara

O áudio é uma colaboração do Zé Lima, de Niteroi – RJ e do José de Sousa, de Guarabira – PB; As capas foram enviadas pelo DJ Xiita, de Salvador – BA.

Em 1960 – Paulo Tito gravou o LP “Baiano da Guanabara”, pela Carrossel. Esta gravação de Paulo Tito tem a honra de ter sido a primeira a trazer a música Súplica Cearense, de Gordurinha e Nelinho.

Conforme relata Roberto Torres no livro Gordurinha (Coleção Gente da Bahia) “… a história deste disco é engraçada. Gravei esse disco por acidente. Quem iria gravá-lo era o Gordurinha. No dia da gravação, quando todos os úsicos do Regional do Conhoto, que tinha um cachê altissimo, já estavam em estúdio, Gordurinha ligou avisando que estava doente, sem poder gravar”, conta Paulo Tito.

O Regional do Canhoto (conjunto musical instrumental brasileiro de choro criado em 1951) sem dúvidas, um dos mais famosos da época, era famoso por Canhoto (cavaquinho), Altamiro Carrilho (flauta), Dinho (violão sete cordas), Jaime Florence (violão seis cordas) e Gilson (pandeiro)… Diante desse impasse, o dono da gravadora indagou a Paulo Tito se ele conhecia o repertório que iria ser gravado. E, em função da resposta positiva, decidiu que seria o cantor do Rio Grande do Norte, quem colocaria a sua voz no disco “BAIANO DA GUANABARA”/GORDURINHA/PAULO TITO/CARROUSSEL/SE-1.006-a/1960.

Paulo Tito conta que: “…no começo resisti, não queria gravar. Até porque era um disco de forró, baião, e meu estilo era outro. Sou um cantor romântico. Terminei gravando e o disco nasceu de um acidente. O elepê terminou sendo um sucesso, pois foi lançado na época que Juscelino Kubistischek transferiu a capital do país do Rio de Janeiro para Brasília e a música de Gordurinha que dá título ao disco “Baiano da Guanabara” fazia uma gozação com os cariocas por causa dessa mudança. Foi muito interessante. Exatamente, porque os cariocas viviam gozando os baianos. Com a música o contrário passou a acontecer”.

Baiano da Guanabara
Composição: Gordurinha

Carioca amigo, tu sempre mexeu comigo
Eu nunca me zanguei
Vê se agora não se invoca
Meu amigo carioca
Pois eu nunca me invoquei
Tu zombava, Tu dizia
Que eu sou pau de arara
É, mas JK se afogou
E o carioca já virou
Baiano da Guanabara

Escute aqui: sou filho do interior
E tú também!
Tô longe da capital
E tú também!
É o baiano pau de arara
è o baiano da Guanabara
Que diferença é que tem?

Vou te ensinar o meu sotaque
pois você não tem nenhum
Olha: aipim é macaxeira
(viu bichinho?)
E abóbora é jirimum

Que tá gozado tá
Carioca com sotaque de pau de arara
É, mas JK se afogou
E o carioca já virou
Baiano da Guanabara

Gordurinha não participou da gravação do disco mais assinou a metade das músicas de “Baiano da Guanabara”, são elas: “Pelé”, “Baiano da Guanabara”, “Larga o Coco”, “Súplica Cearense” e “Não Tá Certo Não” (Gordurinha e Nelinho): e “Perigo de Morte”, (Gordurinha e Wilson de Moraes). (Fonte)

Paulo Tito – Baiano da Guanabara
1961 – Carroussel

01. Baiano da Guanabara (Gordurinha)
02. Quem É (Osmar Navarro / Oldemar Magalhães)
03. Larga o Coco (Gordurinha)
04. E Você Não Vem (Almeida Rego)
05. Súplica Cearense (Gordurinha / Nelinho)
06. Não Tá Certo Não (Gordurinha)
07. Pelé (Gordurinha)
08. Ainda Te Espero (Rubens Machado / Claudionor Santos)
09. Perigo de Morte (Gordurinha / Wilson de Morais)
10. Ninguém É de Ninguém (Umberto Silva / Toso Gomes / Luis Mergulhão)
11. O Galo do Lugar (P. Sobrinho / Milton Gomes)
12. Tristeza de Juriti (Bidú Reis / Murillo Latini)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook