Aldair Soares – Canta sua terra natal Rio das Quintas

Aldair Soares, nascido Aldair Alice Soares, em 04/05/1929, em Pedro Velho – RN. Iniciou a carreira na Rádio Poti, de Natal, foi para o Rio de Janeiro onde passou a se apresentar na Rádio Nacional.

Gravou seus primeiros 78rpm no início da década de 1950. Ficou conhecido como “O pau-de-arara”, devido ao transporte que o levou para o Rio de Janeiro.

Gravou alguns sucessos que todo forrozeiro sabe de cabeça, como “Pé do lajero” e “Moinho d´água”, em suas primeiras gravações, ainda em 78 rpm.

Neste álbum, de 1978, lançado pelo selo ‘Asa Branca’ que era um dos selos do Grupo RGE/Fermata, destaque para “Morena do grotão” de José Cândido e João do Vale.

Aldair Soares – Canta sua terra natal Rio das Quintas
1978 – Asa Branca

01 Rio das quintas (Enok Figueiredo – Aldair Soares)
02 Assum preto (H. Teixeira – Luiz Gonzaga)
03 Quem tem amor tem ciúmes (José Candido)
04 Espera Maria (Luiz Bandeira – Alberto Lopes)
05 Apelo ao vento (José Candido – Oswaldo Eurico)
06 Sabina meu xodó (Enok Figueiredo)
07 lá vem o gado (Guaracy Picado – Roberto Ney)
08 Canção do vaqueiro (Enok Figueiredo – Aldair Soares)
09 Saudade de Maceió (Jorge de Castro – Catulo de Paula)
10 Ondas do mar (Aldair Soares – José Percy)
11 O verbo amar (Dinamor – Enok Figueiredo)
12 Morena do grotão (José Candido – João do Vale)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Aldair Soares – Todos cantam sua terra

Aldair Alice Soares, mais conhecido como Aldair Soares nasceu em 4 de maio de 1929 na cidade de Pedro Velho no Rio Grande do Norte, e veio a falecer dia 19 de Novembro de 1993, na cidade de Natal.

Iniciou a carreira na Rádio Poti de Natal, onde cantava sambas canção. Depois de fazer sucesso na terra natal mudou para o Rio de Janeiro onde passou a se apresentar na Rádio Nacional. Divulgou a história de que teria viajado para o Rio de Janeiro num “pau-de-arara”, meio de transporte através de caminhão muito usado em meados do século XX. Passou então a ser conhecido como “O pau-de-arara”.

Gravou o primeiro disco em 1953 na Columbia cantando de sua autoria e W. Cardoso o coco “Balança o corpo” e de Jorge de Castro e Catulo de Paula, a toada baião “Saudade de Maceió”. No ano seguinte, gravou o xote “Canela fina”, de Silvio Trancoso e João do Vale e de sua autoria, o baião “Alvoroço no sertão”. Em 1955 gravou os baiões “Meu brejão”, do maestro Guio de Moraes e “Todos gostam de você”, Heitor dos Prazeres e Kaumer Teixeira e “Moinho d’água”, de Francisco Elion e Edson França. Em 1957 gravou na Continental o xote “Chofer de caminhão”, de João do Vale e João Costa Neto e o coco “Pé do lageiro”, de João do Vale, José Cândido e Paulo Bangu. Recebeu o troféu “Os melhores da semana”, da TV Tupi do Rio de Janeiro. Um de seus maiores sucessos foi “Alvoroço no sertão”, regravada pelo Trio Marayá e pela cantora Clara Nunes. (texto retirado do site Dicionario Cravo Albim da música popular brasileira)

Aldair Soares – Todos cantam sua terra
Copacabana

01. A.volta da jangada (Aldair Soares – Jorge Fittipaldi)
02. A vedete do siridó (Raymundo Evangelista – Airton Ramalho)
03. Nós num have (Zé Dantas)
04. Moinho d´agua (Edson França – F. Elion Nobre)
05. Arueira (João do vale – Rossini Pacheco – Alventino Cavalcanti)
06. Papagaio legal (Hugo Lisboa)
07. Sina de pescador (Bob Nelson – Antonio Silva)
08. Deixa eu ir pai (Enock Figueiredo – Aldair Soares)
09. Todos cantam sua terra (João do vale – Julinho)
10. Hístoria de um vaqueiro (Enok Figueiredo)
11. Pé do Lageiro (João do Vale – José Candido – Paulo R. Melo)
12. Alvoroço no sertão (Raymundo Evangelista – Aldair Soares)

Para baixar esse disco, clique aqui

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook