post image

Germano Mathias – A gafieira paulista

capa

Mais um belo disco do Germano Mathias, esse do final da década de 1970.

seloaselob

Diferentes andamentos e temáticas das letras, com muito balanço, demonstrando a versatilidade do samba paulista.

verso

Interessante também, poder comparar um disco do Germano, assim como o da postagem anterior, com esse, colocando lado a lado os trabalhos da década de 1950 e 1970.

Germano Mathias – A gafieira paulista
1979 – Itamaraty

01 Sacudi a poeira (Ítalo Nascimento)
02 No meu tamborim você não toca mais (Jorge Costa)
03 Manias líricas (Talismã – Edmundo Andrade)
04 Vista qualquer roupa (Tião Motorista)
05 Cadê a mulata (Gilson de Souza)
06 Por motivo de força maior (Jorge Costa – Bráulio de Castro)
07 O meu chapéu (Geraldo Nunes)
08 Cheiro de falência (Edson – Aloisio)
09 Moleque tumba (Henrique de Almeida)
10 Rei Tin Tin (Mathuzalem)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Germano Mathias – Em continência ao samba

capa

Sou fã do Germano Mathias há um bom tempo. Ai depois que descobri que ele havia gravado um excelente CD de Forró, ai que passei a admira-lo mais ainda.

seloaselob

Dessa forma, digitalizei outros dois discos que tinha dele aqui em casa, do início da carreira.

verso

interessante postar esses sambas da década de 1950, pra gente ouvir e perceber como o forró e o samba estavam mais próximos naquela época.

Germano Mathias – Em continência ao samba
1958 – RGE

01 Guarde A Sandália Dela (Germano Mathias/Sereno)
02 Tem Que Ter Mulata (Túlio Piva)
03 Lata de Graxa (Mário Vieira/Geraldo Blota)
04 Braço a Torcer (Alceu Menezes/Antônio Lopes)
05 Chavecada na Pavuna (Gariba/Basílio Alves)
06 Derrocada no Salgueiro (Germano Mathias/Jorge da Silva)
07 Audiência ao Prefeito (Tobis/Orlando Líbero)
08 Figurão (Germano Mathias/Doca)
09 Maria Antonieta (Sereno/Germano Mathias)
10 Feitiço Fracassado (Germano Mathias/Wilvio Sá)
11 Pedra Dura (Antônio Lopes/Benedito Augusto)
12 O Mandamento do Amor (Elzo Augusto)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

CD – Germano Mathias e Manu Lafer – Forrós Pé de Serra

capa

Colaboração do Érico Sátiro, do Programa Ralabucho, de João Pessoa – PB.

cd

Pra quem conhece o Germano Mathias, sabe que ele é uma das referências do samba paulista, mas nesse fantástico disco, ele coloca todo o seu balançado em prol do forró. A maioria das músicas é cantada em parceria com Manu Lafer, exceto as faixas 06, 09, 11 e 13, que são cantadas apenas pelo Germano.

verso

Repertório indefectível, lado B total, cadência super dançante, muito bem escolhido (nada óbvio) e uma forma muito particular de dividir e acentuar as palavras.

Germano Mathias e Manu Lafer – Forrós Pé De Serra
2016

01 Rosa (Rui de Morais e Silva)
02 Serra Da Coirana (Onildo Almeida – Déo)
03 Limoeiro Valentão (Doutor Jerônimo)
04 Pisa Maneiro (Juvenal Lopes – Dilson Dória)
05 Nega Da Muléstia (Onildo Almeida)
06 Rela Bucho (Elino Julião)
07 Cuidado Constâncio (Fogo Cerrado – Genival Lacerda)
08 Respeito No Pagode (João Silva – José Pereira)
09 Papelão Do Ludogero (Oscar Moss – Armon)
10 Mata Sete (Venâncio – Corumba)
11 O Balaieiro (Buco do Pandeiro – Jackson do Pandeiro)
12 O Grito Do Balaieiro (Guaracy do Pandeiro)
13
Visite O Terreiro (Edgar Ferreira)
Tupinambá (Italúcia)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Sambexplícito: as vidas desvairadas de Germano Mathias

sambexplacito-capa1

Sambexplícito: as vidas desvairadas de Germano Mathias, editora A Girafa, 2008, de Caio Silveira Ramos.

Recebemos do próprio Caio, um exemplar desse belíssimo livro sobre a vida do Germano Mathias. Embora a maioria possa achar que o Germano é um sambista e não tem nada a ver com o forró. Isso é um grande engano.

Houve um tempo em que os ritmos andavam lado a lado, assim como seus compositores e intérpretes eram mais ecléticos e os ritmos eram menos segmentados do que são hoje em dia.

Segue abaixo alguns trechos do e-mail que ele nos enviou falando do livro e de algumas das relações do Germano com nossos conhecidos artistas forrozeiros:

“Acabo de lançar meu livro ‘Sambexplícito: As vidas desvairadas de Germano Mathias’ e durante sua elaboração me enfronhei no universo da música do Norte e Nordeste. Germano é um sambista paulistano, cuja especialidade é o samba sincopado, a importância da música do Norte e Nordeste é tão grande na elaboração do seu estilo que meu livro trata de muitos desses artistas mostrados no ‘Forró em Vinil‘.

Por isso escrevi muito (às vezes em capítulos específicos) sobre o excepcional Jorge Costa (músico, principalmente sambista, alagoano, gravado, por exemplo, por Zito Borborema), Venâncio (que compôs muito para Germano Mathias e foi uma figura humana excepcional: reclamo inclusive no livro sobre a inexistência de CDs que resgatem sua obra com Corumba) e Kazinho (músico paraense).

sambexplacito-caio-silveira-ramos

Abro uma extensa discussão sobre a influência da música do Norte e Nordeste sobre o samba (em especial o sincopado) e digo da relação de Germano com Manezinho Araújo e Gordurinha (foi grande amigo de ambos – aliás o LP do Gordurinha recém colocado no ‘Forró em Vinil‘ (Mamãe, estou agradando) apresenta músicas que o Germano canta há muito tempo e que inclusive foram apresentadas recentemente – e de forma magnífica – no Programa ‘Sr. Brasil’ do Rolando Boldrin: Marido de Vedete, Calouro Teimoso e Súplica Cearense).

Ademais, Mathias também gravou músicas de Luiz Wanderley, do próprio Gordurinha e Elias Soares. Isso sem contar que planeja gravar há muitos anos um CD de cocos sincopados (ele tem o repertório todo pronto). Por isso o livro trata também de Jackson do Pandeiro (de quem Germano foi também amigo), de Osvaldo Oliveira e Jacinto Silva (aliás, Jacinto é um dos homenageados no meu agradecimento).

sambexplacito-verso

Foi Mathias quem me chamou a atenção para a obra de Jacinto e Osvaldo (a maioria dos cocos selecionados por Germano são deles), músicos de quem sou fã e divulgador desde então. No ‘Forró em Vinil‘, encontrei finalmente aqueles cocos e rojões que Germano tanto cantava há muitos anos: discos que ele teve e perdeu e agora eu consigo, graças a vocês, trazer de volta para ele ouvir. Aliás, também constam desse repertório de Germano: Elino Julião, Ary Lobo, Edgar Ferreira, entre outros.”

O livro tem uma forma muito peculiar e interessante de retratar e navegar por versos e histórias, da obra e da vida do Germano, suas influências, hábitos e façanhas, um misto de fatos contados de forma fluida e romantizada, junto com, relatos e entrevistas, formas bastante informativas que ajudaram a contextualizar as ‘origens’ e as relações do Germano e de alguns dos artistas que vieram a se destacar como forrozeiros.

Germano Mathias, assim como Jacinto Silva, Jackson e Genival, também é conhecido pela facilidade com que lida com a divisão rítmica e a usa para caracterizar o seu samba “sincopado”.

Como quem não gosta de samba, bom sujeito não é, leiam o livro e conheçam essa figura que conviveu e interagiu com vários de nossos ídolos, Germano Mathias.

Germano Mathias – Germano Mathias

1974-germano-mathias-germano-mathias-capa

Para ilustrar a publicação do livro do Caio Silveira Ramos, temos aqui uma colaboração extra do Jorge Paulo. Só pra dar uma variadinha no forró, um disco de samba de primeiríssima linha. Abaixo um trecho de um texto de Dafne Sampaio.

1974-germano-mathias-germano-mathias-selo-a1974-germano-mathias-germano-mathias-selo-b

“Germano Mathias nasceu no dia 02 de junho de 1934 no bairro do Pari, zona leste de São Paulo. Passou infância e adolescência estudando no Centro da cidade e quando saía da escola dava de cara com as rodas de batucada feitas pelos engraxates nas praças Clóvis Bevilacqua e João Mendes.

Todos batucavam nas próprias latinhas de graxa e Germano passou então a acompanhá-los. Logo se mostrou espantosamente hábil o que lhe valeu um convite para tocar frigideira na bateria da Escola de Samba Rosas Negras. Incentivado por um amigo batuqueiro, participou em outubro de 1955 do concurso À Procura de Um Astro na Rádio Tupi.

Ganhou o primeiro lugar com um samba sincopado e logo foi contratado pela rádio que o registrou como ‘cantor e executante de instrumentos exóticos’ (a tal lata de graxa).Esse estilo de samba com divisões bem marcadas e uma batida diferente tornou-se a marca registrada do cantor, e eventual compositor.” (Veja o texto completo no seu contexto original)

1974-germano-mathias-germano-mathias-verso

Para encerrar essa publicação, um trecho do livro ‘Sambexplícito: As vidas desvairadas de Germano Mathias’ de Caio Silveira Ramos, sobre esse disco:

“Além de “Eu e a saudade pela rua”, “Meu viver”, “Como é que pode” e o inesquecível “Deu a louca na nega” todos do compositor paraense (Kazinho), são também destaques do disco, sambas de Caco Velho, Jorge Costa, Padeirinho, Henricão e Laurindo Saudade.”

Até hoje, segundo Caio, são 17 discos de 78 RPM, 10 LPs, 3 CDs e um DVD. E segundo Bezerra da Silva: “o que Germano faz, ninguém consegue fazer igual”

Germano Mathias – Germano Mathias
1974 – Beverly – AMC

01. Na casa da Tia Ciata (Artulio Reis / Monalisa)
02. Luto no morro (Jorge Duarte)
03. Testamento de sambista (Henricão / Mário Augusto)
04. Criançada bamba (Laurindo Correia / Popó da Cuíca)
05. Zé da pinga (Padeirinho)
06. Conselho de coroa (Padeirinho)
07. Como é que pode (Kazinho)
08. Quisera que soubesses (Ari de Jesus / Rodolfo Vila)
09. Deu a louca na nega (Kazinho)
10. Não é da Bahia (Jorge Costa / Padeirinho)
11. Cachorro da vizinha (Caco Velho)
12. Meu viver (Kazinho)
13. Eu e a saudade pela rua (Kazinho)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook