Azulão – Francisco Azulão – Compacto Duplo

capa p

Colaboração do Azulinho, de Caruaru – PE

seloa pselob p

Esse é o primeiro disco do Azulão, um compacto duplo lançado em 1965, pelo selo Madrigal.

verso p

Azulão já havia participado de coletâneas anteriormente, mas esse raríssimo compacto marcou o início de sua brilhante carreira.

Azulão – Francisco Azulão – Compacto Duplo
1965 – Madrigal

01. Despedida de amor (Juarez Santiago – Teonas Santiago)
02. Eu sou sozinho (Juarez Santiago – Ivan Bulhões)
03. Ajuda – me (Francisco Azulão – Brito Lucena)
04. Balão da saudade (Juarez Santiago – Luiz Macedo)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Azulinho – Forró made in Caruarú

capa

Colaboração do Azulinho, de Caruarú – PE

encarte

Gravado em Caruaru – PE.

foto

Arranjos de Alexandre Santos, Hedran Barreto e Lula Viegas.

verso

Participação especial de Azulão na faixa “Jogo nas 11” de Zé Lito Ferreira; e na faixa “Se a minha mulher me der chá” de Azulão e Lula Viegas, que também participa da gravação. Participação de Santanna na faixa “Menina da capoeira” de Janduhy Finizola.

Azulinho – Forró made in Caruarú
2014 – Ipojuke

01 Forró made in Caruaru (Bena Rei)
02 Forró do rádio (Walmir Silva – Azulão)
03 Jogo nas 11 (Zé Lito Ferreira)
04 Jeito manhoso (Lula Viegas)
05 Menina da capoeira (Janduhy Finizola)
06 Se a minha mulher me der chá (Azulão – Lula Viegas)
07 Na sombra do Juazeiro (Brito Lucena – Lindolfo Barbosa)
08 Todos os bonecos de Deus (Nicodemus – Bena Rei)
09 O verdadeiro amor (Bibiu do Acordeon)
10 O tempero do amor (Brito Lucena)
11 O amor me faz crer (Humberto Bony)
12 Forró da Galeguinha (Lula Viegas)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

CD – Azulinho – O filho do Azulão

Colaboração do Parafuso.

Filho do “Pequeno Grande”, Alexandre Lima, o Azulinho, nascido em 13 de dezembro, mesma data em que veio ao mundo o Rei do Baião. Começou sua carreira aos onze anos de idade fazendo backing vocal nos shows do pai. Aos 25 anos e atendendo a um pedido do próprio Azulão, deixou o forró estilizado e abraçou a missão de dar continuidade ao trabalho daquele que foi o grande responsável por sua vocação musical.

As influências foram muitas e com as quais conviveu bem de perto, desde Trio Nordestino, Jackson do Pandeiro, Marinês, Luiz Gonzaga, Os 3 do Nordeste ao próprio Azulão.

Azulinho define seu estilo como tradicional, mas com uma cara nova. “Na verdade, eu já estava saturado do estilizado e aí veio o pedido do meu pai e agora, além do meu show solo, eu produzo os shows dele e temos um em parceria, é maravilhoso”, explica.

Aos 68 anos, o cantor Azulão diz que seu maior sonho é ver os filhos continuarem seu trabalho, e ele diz que vai manter o estilo musical do pai em seus trabalhos. “Estou iniciando minha carreira por opção, mas com o incentivo dele (Azulão). Ele sentou, teve uma conversa séria comigo e pediu que eu continuasse o trabalho dele”.

Com 17 canções, o álbum intitulado “Azulinho: O filho do Azulão” começou a ser gravado no mês de novembro de 2010 e contou com participações do próprio Azulão e de sua filha Renata Lima. Um trabalho em família, mas com composições assinadas por nomes como Jandhuy Finizola, Brito Lucena, Juarez Santiago, Totonho e até Onildo Almeida. Azulinho também mostra o seu lado compositor, com músicas próprias.

Azulinho – O filho do Azulão
2010

01 – Pra sanfonear (Totonho – Azulinho)
02 – Caruaru é Roma pegando fogo (Carlos Fernando)
03 – Dona Tereza (Elias Soares – Azulão)
04 – Rosa Maria (Lula Viegas)
05 –
Pobre matuto (Janduhy Filizola)
Carne de sol (Onildo Almeida)
06 – O reviver (Azulinho)
07 –
Não lhe solto mais (Cecéu)
Sete meninas (Toinho – Dominguinhos)
08 – O amor é um parafuso (Brito Lucena – João Brito)
09 – Caruaru do passado (José Pereira)
10 – Gaiola bonita (Jacinto Silva – Azulão)
11 –
Toque de fole (Bastinho Calixto – Ana Paula)
Eu vou pra lua (Ary Lobo – Luiz Bouquinha)
12 – Bota lenha na fogueira (Amadeu Ferreira – Azulinho)
13 –
Apanhadeira de café (Azulão – Brito Lucena)
Mulher querendo é bom demais (Juarez Santiago)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook