Luiz Gonzaga – 1950 – 78RPM

selo a p

Colaboração do Roberto Galvão

selo b p

Raríssimo 78RPM do Gonzagão.

Luiz Gonzaga – 78RPM
1950 – RCA Victor

01 Vem morena (Zé Dantas – Luiz Gonzaga)
02 Quase maluco (Luiz Gonzaga – Victor Simon)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Emilinha Borba – 78rpm – Baião de dois – Paraíba

Colaboração do Lourenço Molla, de João Pessoa – PB

A interpretação fantástica desses clássicos, na voz marcante de Emilinha Borba e com o acompanhamento de Os Boêmios.

Emilinha Borba 78rpm – Baião de dois – Paraíba
1950 –

01. Baião de Dois (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira / Humberto Teixeira) Baião
02. Paraíba (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira / Humberto Teixeira) Baião

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Luiz Gonzaga – 78 rpm

selo

Depois de mais um excelente Rootstock, na minha concepção, se não a melhor, uma das melhores festas de forró pé-de-serra do Brasil. Tanto pelo público maravilhoso como pelos próprios músicos, que fazem primorosas apresentações, tornando todo ano essa reunião cada vez melhor.

Hoje eu quase já recuperado venho mais uma vez relembrar onde tudo começou, ou seja, nada melhor que recordarmos mais um pouco da história do Rei Luiz Gonzaga. O 78 rpm de hoje foi lançado em 1950, com os sucessos, os baiões “Dança da Moda”, parceria com Zé Dantas, “Respeita Januário”, parceria com Humberto Teixeira.

Essa época o baião tornou-se a coqueluche nacional o novo ritmo do Brasil “A dança da moda” mostra as mudanças causadas no comportamento das pessoas após a introdução do baião, “No Rio está tudo mudado…”, referência às mudanças desse comportamento, outro aspecto que vale destacar desse 78 rpm é que a partir dessa gravação inúmeros artistas, entre os quais Carmem Miranda, Carmélia Alves, Ivon Curi, Marlene, Isaura Garcia, Jamelão, Emilinha Borba, passaram a gravar músicas da dupla Gonzaga/Humberto Teixeira.

Após consagrado o rei do baião, Gonzaga decidiu mudar seu visual, introduzindo o chapéu de couro que faria parte de sua indumentária até a morte. Bom, agora que sabemos um pouco mais da história do “Mestre Lua” vamos ouvir esse excelente trabalho. (Texto e disco enviados por DJ RICK)

Luiz Gonzaga – 78 rpm
1950 – RCA Victor

Lado A – A dança da moda (Luiz Gonzaga / Zé Dantas)
Lado B – Respeita Januário (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Luiz Gonzaga – 78 RPM

luiz-gonzaga-assum-preto-ok

O prestígio da música brasileira regional consolida-se em todo o mundo, podendo ser considerada como um dos símbolos de nossa gente, seus hábitos, seus fazeres, haveres e falares.

O disco de 78 rpm que apresentamos esse domingo é um clássico de Luiz Gonzaga. Mas não adianta apresentar a músicas sem apresentarmos seus dados historiográficos de fôlego que possam mapear, sistematizar, discutir e a ler para obtermos, uma reflexão crítica e teórica do que significa esse trabalho.

Em 1949 Gonzaga era o principal astro da música popular brasileira e lançou uma série de sucessos de sua parceria com Humberto Teixeira e no mesmo ano lançou as primeiras parcerias com Zé Dantas, que se tornaram sucesso rapidamente.

Segundo dados que obtive em algumas pesquisas Humberto Teixeira e Zé Dantas nunca foram muito amigos. Gonzaga era o único elo entre eles, Teixeira, que apareceu primeiro, era advogado. Dantas, mais moço cinco anos, era médico. Teixeira tinha uma ambição: universalizar a música nordestina, o que tentou fazer através da lei que levou o seu nome. Dantas preferia cantar as coisas do agreste. Foi o próprio Luiz Gonzaga quem melhor estabeleceu as diferenças entre os dois: “Humberto era mais mesclado com a cidade, com o asfalto. E Zé Dantas veio do sertão bravo. Eu costumava dizer que podia sentir o cheiro de bode na pessoa dele.”

Em 1950 o “Mestre Lua”, como era conhecido Luiz Gonzaga, recebe dos paulistas o título de “REI DO BAIÃO” que o consagra até nossos dias. E nesse mesmo ano lançou o 78 RPM com seus maiores parceiros aqui citados: de Zé Dantas o xote “Cintura fina e com Humberto Teixeira a toada ”Assum preto”.

Bom, agora que sabemos um pouquinho mais sobre a história de Luiz Gonzaga vamos nos deliciar com seu maravilhoso trabalho. (Texto e disco enviados por DJ RICK)

Luiz Gonzaga – 78 RPM
1950 – RCA Victor

Lado A – Assum Preto (Humberto Teixeira – Luiz Gonzaga)
Lado B – Cintura Fina (Zé Dantas – Luiz Gonzaga)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Zé Gonzaga – 78 RPM – 1950

selo-a

Cá estamos em mais um domingo chuvoso em Sampa, hoje é dia novamente de um 78 RPM, selecionado cuidadosamente pelo nosso querido amigo Rick. Dessa vez ele nos preparou uma preciosidade de Zé Gonzaga.

José Januário Gonzaga do Nascimento, conhecido pelo nome de Zé gonzaga, além de cantor, compositor e instrumentista, o acordeonista é o filho de nada menos que o grande tocador de 8 baixos Seu Januário, tendo como irmãos, Luiz Gonzaga, Chiquinha Gonzaga e Severino Januário.

Começou sua carreira cantando em programas de calouros. Em 1948, já no Rio, a convite do irmão, foi contratado pela Rádio Guanabara alavancado pela enorme popularidade de Luiz Gonzaga, então já muito famoso, gravou em 1949 pela Star o seu primeiro disco.

Em 1950 fez duas gravações de disco em 78 rpm pela Odeon. A primeira, o calango “Ai sanfona” de Jeová Rodrigues e José Januário e a rancheira “Bate sola” de Jeová Rodrigues e José Januário. E a segunda o xaxado “Alencarina Bonita” de José Januário e José Amâncio e o choro “Disco voador” de José Gonçalves e Abelardo Barbosa, o famoso apresentador de Televisão “Chacrinha” e é esse disco que disponibilzamos hoje.

Zé Gonzaga – 78 RPM
Odeon – 1950

01. Disco voador – Chôro (José Gonçalves – Abelardo Barbosa Chacrinha)
02. Alencarina bonita – Balanceio (José Januário – José Amâncio)

Para baixar esse disco, clique aqui

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook