Zito Borborema – Mensagem do nordeste

Zito Borborema fez sua estréia em disco em 1956, apresentando-se como “Zito Borborema e Seus Cabras da Peste”, gravando de Venâncio e Corumba o xaxado “Coró-co-tum” e dele, Venâncio e Corumba, o forró “Forró no Alecrim”.

Em 1957, gravou com os Seus Cabras da Peste, o xote “Tempo de molecote” e o baião “Baião da corda”, as duas composições de autoria de Venâncio e Corumba.

Nessa mesma época, formou com Dominguinhos e Miudinho o Trio Nordestino em sua primeira formação, que teve curta duração.

Em 1958, lançou pela RGE o xote “Casamento encrencado”, e Cumpadre e Elias Soares e o baião “Tudo errado”, de Gerêncio Cardoso. (texto retirado do site Dicionario Cravo Albim de música brasileira)

Nesse disco, Mensagem do nordeste, destaque para o grande sucesso “Mata sete” de Venâncio e Corumbá.

Zito Borborema – Mensagem do nordeste
Copacabana

01. O bom filho a casa torna (Paulo Patricio)
02. É só saudade (Oséas Lopes – Luiz Guimarães)
03. As coisas lindas do Pará (Kazinho)
04. Não deixe o côco parar (José Pereira – J. Luiz)
05. Mata sete (Venâncio – Corumba)
06. Te arranca (Luiz Moreno – Gerôncio Cardoso)
07. Esqueça de mim (Zito Borborema – Aurino Francisco)
08. Mineiro uê, mineiro uá (New Carlos)
09. Cardume (Zé Violão – Oswaldo Mateus – Maria Clara)
10. Amor de vaqueiro (Oswaldo Eurico – Edésio Bispo)
11. Mensagem do nordeste (Antonio Brasil)
12. Minha baianinha (Roberto Martins)

Para baixar esse disco, clique aqui

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook