Trio Luar do Sertão – Os brasas do xaxado

trio-luar-do-sertao-os-brasas-do-xaxado-capa

Colaboração do DJ Thomaz, de São Paulo – SP. Esse disco ele tinha prometido já há algum tempo e finalmente agora podemos ouví-lo e degustá-lo.

Para levantar as informações abaixo, tive a oportunidade de conversar com o sanfoneiro Bacural, que atualmente toca no trio ‘Os Filhos do Nordeste’.

trio-luar-do-sertao-os-brasas-do-xaxado-sela-atrio-luar-do-sertao-os-brasas-do-xaxado-selo-b

Bacural, conhecido como compositor por Severino Sérgio, já teve algumas músicas de sua autoria gravadas por Adolfinho e Abdias, por exemplo.
Amigo de infãncia de Zé Pacheco, ambos imigrantes que, no final da década de 1950, chegaram ao Rio de janeiro, ainda crianças e vindos da Paraíba. Bacural é de Alagoa Grande e Pacheco de Rio Tinto.

O Trio Luar do Sertão existiu durante aproximadamente dois anos, no final da década de 1960 e início da década de 1970. Eles acompanhavam Genival Lacerda, que já era ídolo na época, em seus shows, o que lhes abriu a oportunidade de gravar esse disco, que é o único do trio.

O trio era formado por Bacural (zabumba), Zé Palito (triângulo) e Zé Pacheco (voz e sanfona), e foi esse sanfoneiro, José Pacheco Marinho filho, que se tornaria base para a formação um outro trio, que em 1973, ficaria famosíssimo em todo Brasil: ‘Os 3 do nordeste’.

trio-luar-do-sertao-os-brasas-do-xaxado-verso

Produção artística de Genival Lacerda, que também tem diversas das composições do álbum. O disco foi gravado em São Paulo – SP, em um estúdio que era do Venâncio. Um belo LP, é como se fosse um disco antigo do Genival, só que com a voz do Zé Pacheco, um registro único.

Destaque para “Tomaram meu amor” de Genival Lacerda e Antonio Clemente e para “Casa com ela Zé” de autoria de Zé da Ema e Genival Lacerda.

Trio Luar do Sertão – Os brasas do xaxado
1968 – Bemol

01 Forró na Bahia (Eufrásio de Souza – Genival Lacerda)
02 Tomaram meu amor (Genival Lacerda – Antonio Clemente)
03 Casa com ela Zé (Zé da Ema – Genival Lacerda)
04 Coco do Mané (Ataide Pereira – Zequinha)
05 Se o rojão não subir (Sebastião Soares – J.B. de Azevedo)
06 Horizonte do nordeste (Joca de Castro – Genival Lacerda)
07 Maria sanfoneira (Marti Campos)
08 Xaxado no sertão (Genival Lacerda – Ary Monteiro)
09 Psicose no coco (Tito de Souza – Alexandre Alves)
10 Xaxado no Ceará (Genival Lacerda – Severino Alves de Souza)
11 Cumpadre de São João (Buco do Pandeiro – New Carlos)
12 Coco diferente (Buco do Pandeiro – Genival Lacerda)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

4 comments

  • ivania Borges

    Boa noite. Queria comprar o ultimi cd que foi gravado a associação do Idoso na Ilha de Monte Belo. Urgente Obrigada

  • Bruno

    Uma historia curiosa e talvez até triste ao ver a foto desse vinil.

    Sou do Rio de Janeiro e desde 89 quando nasci até poucos anos atras eu morei no Jardim Novo (Realengo) que era onde morava o Zé Palito. Ele sempre foi uma figura conhecida por todos da região e quando eu era criança ele já tinha uma certa idade. Andava pelo bairro todo com o triângulo dele tocando, cantando e contando historia que tocou com Genival Lacerda, falava de Luiz Gonzaga também e muitas outras coisas. Tinha algum problema com bebida então muitas vezes andava bêbado e a gente quando criança tem medo né, mas coisa boba.

    O curioso e triste que só hoje em dia depois de mais de 20 anos que to vendo que tudo que ele contava sobre ser de uma banda e tocar com Genival Lacerda era verdade. Quando a gente é criança não entendia isso ou sabia o significado.

    Como disse uma amiga que mostrei essa foto e disco pra ela “Exatamente, eramos crianças nunca iamos imaginarva dimensão do cara. Conhecemos ele já com uma idade avançada, o povo das antigas do bairro que nunca valorizaram ele.
    Era visto como um “cachaceiro” apenas””

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook