Texto – João Mossoró, o canto do Nordeste na voz de um menestrel – por Higino Canuto Neto

Foto e texto enviados pelo Higino Canuto Neto, de Juazeiro – BA

“João Batista Almeida Lopes, conhecido artisticamente por João Mossoró, começou a carreira musical em 1956, quando participou com seus irmãos Oséas Lopes e Hermelinda, do lendário Trio Mossoró, uma homenagem à cidade natal, no Estado do Rio Grande do Norte.

Com a formação do Trio Mossoró, com Oséas na sanfona, Hermelinda no triângulo e João Mossoró no zabumba, o grupo seguiu a mesma estética introduzida por Luiz Gonzaga, caracterizada pela forte representação nordestina, nas vestimentas com o gibão e o chapéu de couro e nas músicas a cadência rítmica alegre e festeira do xote, do xaxado e do baião.

Apadrinhado por personalidades como José Messias, que atualmente é jurado do programa do Raul Gil e o poeta cantador Luiz Vieira, o Trio teve o privilégio de contar com a parceria de grandes compositores como Antonio Barros, Cecéu, Anastácia, Dominguinhos e o maranhense João do Vale.

Em 1965, conquistaram o troféu Elterpe, o prêmio de maior importância da Música Popular Brasileira, na época. A cerimônia de premiação aconteceu no Palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, tendo como sucesso premiado a música “Carcará”, composta por João do Vale e José Cândido. No mesmo ano, Maria Bethânia também gravou a canção que se tornou sucesso nacional e símbolo da resistência do povo nordestino ante as agruras da seca e o sistema repressor ditatorial que governava o Brasil na época.

Durante o tempo em que tocava nos programas na Rádio Mairink Veiga, João Mossoró conheceu e trabalhou com Luiz Gonzaga, tocando zabumba. Pelo Rei do Baião foi apelidado de Cibito, numa referência às suas pernas, cuja alcunha providenciou gravar em seu instrumento a frase “Cibito – O rei do zabumba”.

O Trio Mossoró se desfez em 1972 com 12 LP´s gravados, verdadeiras referências do cancioneiro nordestino em todo o Brasil. Em carreira solo, João Mossoró se manteve fiel às suas raízes, divulgando a sua arte como um menestrel dos cantares e saberes do povo nordestino.

Em 2004 o artista concretiza o seu desejo de prestar uma homenagem ao seu ídolo maior – Luiz Gonzaga, gravando o CD ‘O Mito e a Arte de Luiz Gonzaga’, com reconhecimento pelo critico e historiador musical Ricardo Cravo Albin, que dedicou todo um programa transmitido pela Rádio MEC à divulgação do trabalho. O Sucesso do disco rendeu um novo álbum: ‘O Mito e a Arte de Luiz Gonzaga’ – volume 2, complementando o ciclo de homenagens, prefaciado pelo Cravo Albin que escreveu: ‘bela voz, lindo repertório, tudo isso faz deste disco uma alegria em ligar o aparelho de som, no mais das vezes, emudecido por lançamentos bisonhos, quase insuportáveis’.

Em seu mais recente CD ‘Conexão Nordeste – O Arauto das Raízes Nordestinas’, João Mossoró interpreta canções de outros artistas também consagrados (Belchior, Chico Salles, Gonzaguinha, Nando Cordel, Dominguinhos, dentre outros), como num reconhecimento pela cumplicidade em produzir música de qualidade inspirado pela essência que brota do interior profundo do nordeste brasileiro.

Juntamente com seus irmãos Oséas e Hermelinda, João Mossoró insere o estado do Rio Grande do Norte na geografia musical brasileira, com a mesma grandiosidade com que Jackson do Pandeiro introduziu a Paraíba, com a mesma intensidade com que João do Vale revelou o Maranhão e o mesmo ideal e devoção com que Luiz Gonzaga apresentava ao Brasil o seu estado Pernambuco, carregando todo o sentimento nordestino em sua genialidade musical.

João Mossoró é um arauto, um menestrel, um dos últimos ícones do forró em plena atividade, contemporâneo de outros forrozeiros históricos que o Brasil precisa reconhecer e aplaudir em sua grandiosidade.”

Contato:
João Mossoró
joaomossoro@yahoo.com.br>
Telefone: 0xx.21.3437.9847

8 comments

  • Alexandre Paulo de Oliveira Soares

    QUERIDO JOÃO MOSSORÓ.
    Quanto mais te conheço, mais o admiro e respeito. Obrigado por poder te chamar de amigo, e infelizmente, nosso Paíz tem memória curta e não dá valor aos verdadeiros ícones como você.
    Conte comigo SEMPRE!
    UM grande ABRAÇO do seu FÃ,
    Alexandre Paulo de Oliveira Soares
    Magé – RJ – Brasil

  • gilson

    eu gostaria de baixar o lendário 30 dias de forró, do trio mossoró que eu não consegui. estou emocionado com sua história e com as lembranças daquela capa inesquecível para mim. Os tres, com os instrumentos vestido de forma típica do nordeste e cançoes que me fazem voltar à infância.

  • gilson

    Deixa eu entender. João Mossoró é o atual Carlos André? OU é Oséias Lopes?Não acredito. O mesmo que canta na parede da paixão, guarânia da saudade e outras?
    Minha nossa! Que emoção!
    Alguém me responda por favor

  • gilson

    Olhando a capa do trio mossoró, pela a altura, Carlos André é Oséias Lopes, o que está com a sanfona. Incrível.

  • Antonio dos Santos

    Gilson,
    O Trio Mossoró é da cidade de Mossoró-RN.
    Oseas Carlos André Lopes é o Oseas Lopes do trio Mossoró e Carlos André que canta sozinho: Guarania da Saudade, Parede da Paixão e outros grandes sucessos.
    O Trio Mossoró era formado pelos três irmão: Oseas, João Mossoró e Ermelinda. O Trio foi desfeito após gravar mais de 100 grandes sucesso e seguiram carreira solo.
    Acessndo Trio Mossoró você vai encontrar muitas músics do Trio Mossoró, ibclusive, Trinta dias de Forró.
    Nas fotos: Oseas na sanfona, Ermelinda no triângulo e João Mossoró no Zabumba.
    Espero ter contribuído para sua resposta.
    Dr. Lima
    Cruz – CE.
    Dr. Lima

  • Pádua Sampaio

    Foi com Trio Mossoró foi o primeiro show que, ainda menino, idos de 1965, na cidade de Crateús no Estado do Ceará, tive oportunidade de assistir. A Ermelinda – nome mais apropriado não pode haver – ela é simplesmente linda mesmo , arrasava no vocal junto a Oséas. Marcou-me tanto que, ainda hoje, decorridos 50 (cinquenta anos) , recordo os versos de uma das músicas tocadas por eles. O título não sei mas os versos eram assim:

    ” como tu tá Maria?
    Já tou mió
    E tua lua de mel
    Vixe foi das pior ”

    e por aí vai……….

    Pena que hoje já não existam artistas genuínamente nordestinos como Trio Mossóró.

  • José Alves de Lima

    Olá Pádua.
    A musica que você quer chama se, [como tú tá Maria]
    Do lp quem foi vaqueiro 1964.
    Aqui mesmo no forroemvinil.
    é só baixar.

    Zé Lima Niterói

  • kleber

    Trio Mossoro e Fantastico um Trio que tocava e cantava com coração,Ermelinda era a luz do trio,quando ela cantava o forro ficava mais ainda especial,todos os discos perfeitos em arranjos e instrumentos que toca em um ritmo com tanta Harmonia,Realmente o Forro Tem uma Força quem vem da Força Divina e a Expressão Maior da Cultura Nordestina,eu so agradeço a Deus por ter dado tantas coisa boa para o povo nordestino,olha o tanto de cantores tem so no nordeste e de qualidade,quem não conhece o verdadeiro Forro que e postado aqui neste Blog Sagrado da cultura Nordestina ,não conhece suas origens e verdadeiras Raizes de um Povo Alegre sempre ,mesmo com as dificuldades que o sertão tem,mais o nordestino e de fibra resiste aos tempos e deixa um legado que e um verdadeiro tesouro da nossa cultura Brasileira,as pessoas que cuida deste Sagrado Blog um tesouro cultural,nada si compara em região nenhuma do Brasil o Tesouro Musical que aqui si encontra,so tenho agradecer aos fundadores e todos os Colaboradores que aqui posta discos para que nois colecionadores e amante da musica nordestina seja presenteado por tantos discos maravilhosos..Que Deus abeçõe todos nois e Salve o Forro de Raiz..

    Kleber-Uberlandia Minas Gerais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook