Noca do Acordeon – Noca do Acordeon

noca-frente

Adauto Pereira Mattos, compositor e acordeonista, conhecido como Noca do acordeon, nasceu em Jequié – BA 18/11/40, foi considerado um gênio do acordeon.

Garimpei na internet e achei uma comunidade no orkut sobre o Noca. Dela extraí o seguinte relato:

‘ …ele disse-me que pelos idos dos anos 70/80, ele viu Noca tocando nos vagões de luxo de trens de passageiro aqui no Ceará. Deve ter sido nesse período que nasceu a composição “De Fortaleza a Sobral”. Tenho 06 (seis) LP’s e dois CD’s do Noca. Considero-o o maior solista de chorinho no acordeón.

noca-verso

Outra coisa… Na biografia de Jackson do pandeiro, consta que Noca começou acompanhando o véio, mas ele, que não era nada bobo, logo percebeu o seu talento extraordinário e o aconselhou: “Um sanfoneiro como você não é para tocar acompanhando ninguém. Você tem que gravar sozinho”. (Arievaldo)

Quanto a esse disco, repleto de choro e baiões, como não consta a data, imagino que seja alguma espécie de coletânea, afinal tem várias músicas repetidas de seus outros LPs. Esse, imagino que deva ser da década de 1970, embora no rótulo esteja impresso a data de 1992.

Zé do fole, frequentador do Blog, escreveu posteriormente: “Olá, amigos, realmente esse LP de Noca é de 1973. As duas últimas músicas do lado B têm a participação cantada de Shirley Torres. Noca não chegou a ser como Dominguinhos, Sivuca, Oswaldinho… …mas tinha originalidade um jeito único de solar as músicas. Ele tocava floreando as teclas. Valeu, DJ.”

Noca do Acordeon – Noca do Acordeon
1992 – Beverly

* 01. Coração de artista (Noca do Acordeon)
* 02. Pertinho do céu (Noca do Acordeon)
* 03. Conde (Evaldo Gouveia – Jair Amorim)
* 04. Sentimental (Noca do Acordeon)
* 05. Dançando com você (Noca do Acordeon)
* 06. Brasileirinho (Waldir Azevedo)
* 07. Recordando o Líbano (Pedro Santos – Airton Amorim)
* 08. De Fortaleza a Sobral (Noca do Acordeon)
* 09. Resta-me a saudade (Noca do Acordeon)
* 10. Baião da saudade (Noca do Acordeon)
* 11. Camadinha (Gordorinha – Shirley)
* 12. Lua branca da saudade (Shirley – A. Negre)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Zenilton – O grilo dela

capafrente6

Mais um disco do Zenilton que consegui graças ao meu amigo Tick, dessa vez ainda não tive nem o trabalho de digitalizá-lo, pois a curiosidade o consumiu e ele mesmo passou o áudio pro computador e me mandou pela net antes mesmo de me entregar o vinil.

José Nilton Veras, conhecido como Zenilton será uma das atrações do Festival Rootstock 2008, onde cantará seus sucessos, de suas duas fases, a inicial, com letras comportadas e um balanço incomparável e da fase na qual esse disco foi lançado, onde cultuava abertamente as músicas de duplo sentido.

capaverso6

Arranjos de Maestro Chiquinho, destaque para a faixa cujo refrão dá nome ao disco, o xote “Cri – cri” de Durval Vieira e Adolfo da modinha, para o forró “O boi lambeu” de Durval Vieira e Jorge Paulo e para outro xote “A tristeza do jacu” de João Caetano.

Zenilton – O grilo dela
1982 – Beverly

01 Cri -cri (Durval Vieira – Adolfo da Modinha)
02 O boi lambeu (Durval Vieira – Jorge Paulo)
03 Linguarada (Namd – Antonio Lima – Roderiki)
04 Faça amor não faça guerra (João Caetano)
05 Centavos novos (João Caetano – Zenilton)
06 O remoído da cabra (Zenilton)
07 Pobre honesto (Zenilton)
08 O repentista da praça (João Caetano – Tony Dim)
09 A tristeza do jacú (João Caetano)
10 Os segredos da cigana (Antonio Brasileiro)
11 Deixe comigo (José Valdivino da Silva – José Duarte Filho)
12 A pobreza (Zenilton)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Antonio Barros – O maior forró do mundo

Colaboração do Lourenço Molla, de João Pessoa – PB

“O Cantor e compositor paraibano Antonio Barros é considerado, por muitos artistas, como o ‘Pelé da música nordestina’. Tem mais de 700 composições gravadas por trios, sanfoneiros e artistas de destaque como Luiz Gonzaga, Jackson do pandeiro, Trio Nordestino, Genival Lacerda, Marinês, Elba Ramalho e Ney Matogrosso, entre outros.

Além de um dos maiores compositores da música regional brasileira, também foi capaz de presentear-nos com esse disco ‘O Maior Forró do Mundo’. Disco repleto de músicas pra lá de dançantes, todas de autoria de sua esposa Cecéu. Fica difícil destacar uma ou outra, vou apenas expor minha predileta: a faixa ‘Brincar de esconder’, devido sua letra maravilhosa.” (Texto enviado por DJ RICK)

Antonio Barros – O maior forró do mundo
1978 – Beverly

01. Segura o machucado (Cecéu)
02. Rebenta o mocotó (Cecéu)
03. Furrubiando (Cecéu)
04. Caipora do mato (Cecéu)
05. Brincar de esconder (Cecéu)
06. Separação (Cecéu)
07. Modificação (Cecéu)
08. O maior forró do mundo (Cecéu)
09. Da gente só a boca (Cecéu)
10. Competição (Cecéu)
11. Recordando pau-de-arara (Cecéu)
12. Espere por mim (Cecéu)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Compacto – Marinela

selo

Finalizando a seqüência das damas cantoras nordestinas, hoje apresentaremos o compacto simples da Marinela gravado em 1975 pela Beverly. Infelizmente, como é habitual da música regional brasileira, não consegui obter nenhuma informação bibliográfica dessa cantora, além do que temos em acervo.

Temos registro de dois LP’s solo gravados: ALEGRIA DO CARIMBÓ (1976) – Beverly e BRASILEIRÍSSIMA (1978) pela Copacabana, além da participação da coletânea 12 MAIORAIS DO NORDESTE em 1977 novamente pela Beverly.

No compacto destacamos mais uma diversificação do forró, o Carimbó, que teve origem indígena, e como diversas outras manifestações culturais brasileiras miscigenou-se e recebeu outras influências. Seu nome vem do tupi, designa o tambor com o qual se faz a percussão que marca o ritmo. O batuque do Carimbó tem influência negra e o mesmo conta também com influências portuguesas (os estalos dos dedos e palmas em algumas partes da dança). (Texto e disco enviados por DJ RICK)

Compacto – Marinela
1975 – Beverly

Lado A – Carimbó da vila do mosqueiro (Tony Wilson)
Lado B – Moreninho – Pinduca

Para baixar esse disco, clique aqui.

Zé Gonzaga – Asa branca

za-gonzaga-frente

Esse deve ser o último LP do Zé Gonzaga, seguindo a tradição de sempre regravar a “Asa branca” música que com o decorrer da história tornou-se um dos símbolos que juntamente com Luiz Gonzaga, representam o forró pé-de-serra.

za-gonzaga-verso

Outra regravação é o “Baile da tartaruga”, música que foi título de um LP lançado dez anos antes desse álbum, pelo próprio Zé Gonzaga. Curiosamente a autoria das músicas, em sua maioria são do Zé em parceria com Pedro Maranguape, grande compositor que teve suas músicas gravadas por Ary Lobo, Jacinto Silva e Edson Duarte, entre outros.

Destaque para as faixas instrumentais “Recordando Januário” e “Naquela noite”, ambas de Zé Gonzaga e Pedro Maranguape.

Zé Gonzaga – Asa branca
1992 – Beverly

* 01. Baile da tartaruga (Osmar Safety – Augusto Mesquita – Jaime Florence)
* 02. Asa branca (luiz gonzaga – Humberto teixeira)
* 03. Não corto e nem penteio (Zé gonzaga – Pedro Maranguape)
* 04. Ninon Zé gonzaga (adap. braguinha)
* 05. Você não gosta de mim (irmãos Valença)
* 06. Forró no ceará (Zé gonzaga – Pedro Maranguape)
* 07. Recordando januário (Zé gonzaga – Pedro Maranguape)
* 08. Quadrilha nordestina (Zé gonzaga – Pedro Maranguape)
* 09. Casamento no sertão (Zé gonzaga – Pedro Maranguape)
* 10. Adeus pernambuco (Zé gonzaga – Pedro Maranguape)
* 11. Naquela noite (Zé gonzaga – Pedro Maranguape)
* 12. Pagodinho português (Zé gonzaga – Pedro Maranguape)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

1 3 4 5

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook