Pré-Entrevista com Paulo Tito

*Link enviado pelo Felipe Campos Batista

Pauta, Filmagens e Edição: Vinícius de Oliveira.
Entrevistadores: Vinícius de Oliveira e Dayhenni Molick

“Seresteiro e compositor, Paulo Peres Tito, 80, é natural de Natal e foi criado no bairro das Rocas. Filho do pescador Francisco Tito, ele conta que sempre teve uma infância humilde. Do seu pai ele herdou o dom da música, além de alguns bens materiais após a sua morte. Aos treze anos, quando trabalhava numa relojoaria, que tinha como proprietário Carlos Farach, um dos donos da Rádio Educadora de Natal (REN), ele teve sua primeira oportunidade como músico. Certo dia, enquanto estava trabalhando, ele começou a cantar alto, o que chamou a atenção de todos, inclusive do dono, que logo o chamou para cantar em sua rádio. Na oportunidade, ele participou de um concurso e ficou em primeiro lugar. Foi aí que surgiu o contato com a Rádio e a sua carreira começou.

Mais maduro, em 1951, por vontade própria, foi para Pernambuco à procura de melhores oportunidades. Foi quando Tito fez um teste na Rádio Regional do Comércio, em Recife, onde foi contratado por três anos. Em 1954, quando ainda estava na Rádio Regional do Comércio, Paulo Tito teve contato com Luiz Gonzaga. No período, o Rei do Baião estava sem o seu Zabumbeiro, que não compareceu à apresentação que estava por acontecer. Foi quando Tito se ofereceu a Luiz Gonzaga para substituir seu integrante. Após a apresentação, Tito disse que Luiz ficou encantado com o seu trabalho, tanto que o convidou para trabalhar no Rio de Janeiro. Um mês depois, chegou o telegrama de Luiz Gonzaga o convidando para trabalhar na Rádio Nacional. Após receber ajuda de custo do Rei para a viagem, Tito partiu para a Cidade Maravilhosa. Lá ele morou por 26 anos, onde não foi só cantor e compositor, mas também produtor e diretor musical, trabalhando nos bastidores da música.

Em 1975 voltou ao Rio Grande do Norte para lançar o disco “Reencontro”, junto com outros artistas locais a convite do então Governador Cortez Pereira, que estava pra sair do governo. Em relação a isso, Tito ainda se mostra surpreso com o acontecido, visto que Cortez Pereira fez o contrário do que normalmente acontece: promoveu uma comemoração antes de sair do governo, o que normalmente é feito no período em que os políticos querem se apossar do Poder Público. Mas Paulo Tito só voltou definitivamente ao RN em 1980, quando, segundo ele, “a idade pesou”. Atualmente ele é seresteiro aqui em Natal. Para ele, “a música é um alimento” que ele necessita consumir. Além de cantar, ele faz palestras, como fez recentemente no SESC sobre a história do samba. Também foi professor de violão durante 14 anos pelo Instituto de Música Waldemar de Almeida, da Fundação José Augusto. “Quem está preparado, trabalha”, disse Paulo Tito após ser perguntado sobre o que achava do apoio que os artistas natalenses recebiam. Segundo ele, Natal apóia os artistas da Terra. “O músico, para ter o apoio do público, do Estado ou da empresa privada, tem que estar preparado pra receber o apoio, porque ninguém vai apoiar um artista que não conheça a música”, afirmou.

Há dois anos, Tito foi homenageado no Teatro Alberto Maranhão, através do Projeto Seis e Meia, recebendo um prêmio simbólico, que, por ele estar doente, foi recebido por Leide Câmara, uma grande incentivadora do seu trabalho. Em relação ao seu estilo musical, a seresta, Paulo disse que o ritmo não perdeu espaço para outros estilos musicais, como o forró e o rock, afirmando que “a seresta não nasceu, já existia, ela é eterna”. Hoje ele diz que tudo mudou muito em relação à música, pois o que importa mais é a questão visual, e não o conteúdo. E, embora haja essa contrastante diferença, ele afirma que isso é certo, porque está de acordo com a época em que vivemos.

Atualmente, Paulo está em seu segundo casamento. O primeiro foi em 1950, e teve dois filhos. O segundo é recente, faz somente dez anos que está casado com sua companheira, que tem 34 anos de idade. Cinco anos depois, nasceu sua outra filha, que hoje tem cinco anos de idade. Sobre o assunto, Tito disse perceber o preconceito das pessoas por ele ser mais velho que sua esposa e parecer avô de sua filha.” (Extraído do www.programaxequemate.blogspot.com)

post image

CD – Quarteto Olinda – Quarteto Olinda

Colaboração do Cláudio Rabeca

“O grupo,surgido em 2005, reúne músicos que conviveram nos forrós, boizinhos, cirandas e bancos de cavalo-marinho da Zona da Mata e ladeiras de Olinda em meados dos anos 90.

Na junção dos percussionistas Guga Amorim, Bruno Vinezof e do baixista Yuri Rabid com o potiguar Cláudio Rabeca, nasceu o Quarteto. Em 2006, após a entrada do pandeiro de Guga Santos (o ‘Rasta’), o Quarteto manteve a poesia e humor do nome, mesmo passando a ser um quinteto.

O CD, gravado no Estúdio Carranca, no Recife, conta com doze músicas. Dessas, sete recebem assinatura dos músicos do grupo. O repertório privilegia um forró de rabeca bem cru, envolvendo outros universos como o samba de matuto (ou de latada) e o coco.”

Quarteto Olinda – Quarteto Olinda
2009

01. Desculpe Morena (Nilton Jr.)
02. Xinxim no Xenhenhen (Guga Santos – Cláudio Rabeca)
03. Cuidado Cantor (Cláudio Rabeca)
04. Samba nosso (Cláudio Rabeca – Guga Amorim – Bruno Vinezof)
05. Forro pé de uva (inst) (Luiz Paixão – Hugo Lins – Pepê – Carlos Amarelo)
06. Caldo de cana (Cláudio Rabeca)
07. Vida mansa (Yuri Rabid – Cláudio Rabeca – Guga Santos)
08. Quincé (Zé Neguinho do Côco)
09. Forró das meninas (Erasto Vasconcelos – Guga Santos – Murilo Silva)
10. A40 (Tiago Andrade)
11. Adeus meu povo (Bruno Vinezof – Fernandes Soares)
12. Passarinho (Tiné – Michael Loveman)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Claudio Rabeca – Luz do baião

Colaboração do Claudio Rabeca.

“Potiguar radicado em Recife, Cláudio cresceu vivenciando de perto os costumes musicais da tradição sertaneja do Rio Grande do Norte, como o forró Pé-de-Serra, e encontrou na cultura pernambucana a essência para desenvolver seus trabalhos musicais e artísticos.

Músico profissional desde 1999, canta e toca instrumentos de cordas como Rabeca, Viola de 10 cordas, Violão, Guitarra e também percussão popular. Desde 2002, canta e toca percussão no Maracatu Nação Estrela Brilhante do Recife e desde 2004 é rabequeiro do Cavalo Marinho Estrela de Ouro do Mestre Biu Alexandre, da cidade de Condado (PE).

Cantor, compositor e rabequeiro do grupo Quarteto Olinda desde 2005, Cláudio Rabeca é um artista que vem se destacando no cenário da música pernambucana.

‘Luz do Baião’ tem forte influência do gênero forró das décadas de 1950 e 1960. Com arranjos de Bozó 7 cordas e uma banda composta com grandes músicos do Recife, o disco contem 09 composições de Cláudio Rabeca, juntamente com parceiros do Recife, além da regravação da música “Rei Bantu” de Luiz Gonzaga e Zé Dantas, “Vagabundo” do Mestre Zé de Teté e “Josué” de Nilton Jr. e Tiné, feita em homenagem à Josué de Castro. Neste disco a Rabeca conversa com a Sanfona, o violão de 7 cordas, o Clarinete e a Flauta Transversal, além de servir de base para a voz.

Com este CD, Cláudio visa reverenciar o Baião, ritmo que foi imortalizado pelo rei Luiz Gonzaga, mas que nos dias de hoje se encontra esquecido até mesmo por aqueles que fazem forró.” (Trechos de seu release)

Claudio Rabeca – Luz do baião
2009

01-Paisagem da Mata Norte (Claudio Rabeca)
02-Sábio Pescador (Claudio Rabeca)
03-Vagabundo (Zé de Teté)
04-Luz do Baião (Claudio Rabeca – José Mauro Alencar)
05-Herança (Claudio Rabeca – Hugo Linns)
06-Rei Bantu (Luiz Gonzaga – Zé Dantas)
07-Josué (Nilton Jr. – Tiné)
08-Trovão Azul no Frevo (Claudio Rabeca)
09-A Formiga e a Cigarra (Claudio Rabeca)
10-Cajarana (Claudio Rabeca)
11-Adeus Saudade (Claudio Rabeca – Nilton Jr.)
12-Toada pra Biu Alexandre (Claudio Rabeca)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Elino Julião Jr e o Forrozão Relampiou vol2

Colaboração do José de Sousa, de Guarabira – PB

Disco do filho do Elino Julião com a cantora Lucymar, que produziu o disco. Ele regravou vários dos grandes sucessos do seu pai, um disco muito bacana, destaque para “Olá bicho” de Elino Julião e Dilson Dória; e para “Na bodega de Expedito” de Elino Julião.

Elino Julião Jr – E o Forrozão Relampiou vol2
2009

01 Olá bicho (Elino Julião – Dilson Dória)
02 Na bodega de Expedito (Elino Julião)
03 A deusa do mercado São José (Elino Julião)
04 Coração ta bombando (Elino Julião Jr – André Julião)
05 Mossoró Mossoró (Bartô Galeno – Antonio Pires)
06
A festa do senhor São João (Elino Julião)
Pé de alface (Elino Julião)
Vou pra tamarineira (Elino Julião)
07 Eu te quero só pra mim (Elino Julião Jr – André Julião)
08 Teu abraço e chamego (Elino Julião Jr – André Julião)
09 O rabo do jumento (Elino Julião – Dilson Dória)
10 Filho de Goiamum (Elino Julião – Aurino Francisco)
11 O mela mela (Elino Julião)
12 O relabucho (Elino Julião)
13 Na sombra do Juazeiro (Elino Julião – Brito Lucena)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Chico Mota – Empregada doméstica

Colaboração do Vinimax, do Rio de Janeiro – RJ.

“Chico Mota fazia parte da banda que acompanhava Jackson do Pandeiro, depois de muitos anos, Chico Mota foi resgatado para o forró através do amigo e produtor musical Marcos Macambira, que produziu os seus dois últimos CDs.”

No arquivo tem quatro músicas a mais, que não são citadas no encarte, são as últimas da lista, músicas que ele gravou em 1975 e 1976, junto com Jackson do Pandeiro, nas coletâneas ‘A tuba da muié’ e ‘Multirão’.

Participações especiais de Zé Calixto, na faixa “De pé no chão” de Narcizinho, Bras Marques e Jackson do Pandeiro; e de Severo do Acordeon, nas faixas “Competente demais” de Elias Soares e “A mulher que virou homem” de Jackson do Pandeiro e Elias Soares.

Chico Mota – Empregada doméstica
2009

01-Empregada doméstica (João Gonçalves – J. Batista Filho)
02-Minha linda Maranhanse (João Gonçalves)
03-Cajueiro (Jackson do Pandeiro – Raimundo Baiama)
04-Tertulina (Elias Soares – Sebastião)
05-Aqui têm (Chico Mota – Cerlando)
06-Competente demais (Elias Soares)
07-Não despreze teu coroa (Severino Ramos – Genival Lacerda)
08-O Zeca se deu mal (João Gonçalves)
09-O gosto do amor (João Gonçalves)
10-Ingazeiro velho (Chico Mota – Macambira)
11-Amor de mãe (João Gonçalves – J. Batista Filho)
12-A mulher que virou homem (Jackson do Pandeiro – Elias Soares)
13-De pé no chão (Narcizinho – Bras Marques – Jackson do Pandeiro)
14-A saga de Chico Mota (Chico Mota)

15-Trabalha Zé (J. Cavalcante)
16-Céu estrelado (Coelho Neto)
17-O caqueado (Mourão)
18-A fogueira do coroné (Alventino Cavalcanti / José Gomes Filho)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Chambinho do Acordeon – Revivendo Luiz Gonzaga

Colaboração do Chiquinho Alves

Esse é o primeiro disco lançado pelo Chambinho do Acordeon, gravado ao vivo no ‘Castelo de Viana’.

O trabalho reúne músicas das diversas fases da carreira do Gonzagão, com participação especial de Flavinho Lima, na faixa “O fole roncou” de Nelson Valença e Gonzagão; e de Dantas do Forró, na faixa “Xote machucador” de Dominguinhos e João Silva.

Chambinho do Acordeon – Revivendo Luiz Gonzaga
2009

01 – Sala de reboco
02 – Sabiá
03 – Xote das meninas
04 – A vida de viajante
05 – Respeita Januário
06 – O fole roncou
07 – Xamego
08 – Deixa a tanga voar
09 – Sanfoninha choradeira
10 – Súplica cearense
11 – Pra não morrer de tristeza
12 – De Terezina a São Luiz
13 – A morte do vaqueiro
14 – Xote machucador
15 – Mané gambá
16 – Aquilo bom
17 – Asa branca
18 – A volta da asa branca
19 – Sanfona sentida
20 – Pau de arara
21 –
Cantiga de vem vem
Roendo unha
22 – Amei a toa
23 – Pagode russo
24 –
A fogueira tá queimando
O maior tocador
Eu quero chá
25 – Retrato de um forró

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Damásio do Acordeon – Sanfona sentida

Colaboração do Damásio do Acordeon

Ao contrário de seus discos anteriores, que eram compostos básicamente por músicas próprias, esse disco tem diversas regravações.

Participações especiais de João Neto, na faixa “Fazenda São Gonçalo” de Damásio do Acordeon; de Huná Samarone, na faixa “Até mais ver” de Pedrinho do Nordeste e Primo; de Fabiano Monteiro, na faixa “Meu amor vem cá” de Félix Porfírio e Noel Tavares; e de Araújo, na faixa “A cigana lhe enganou” de Juarez Santiago e Francisco Azulão.

Damásio do Acordeon – Sanfona sentida
2009

01 Trem bom (Vicente Barreto)
02 Fazenda São Gonçalo (Damásio do Acordeon)
03 Sanfona sentida (Dominguinhos – Anastácia)
04 Serrote agudo (José Marcolino – Luiz Gonzaga)
05 Hora do adeus (Onildo almeida – Luiz Queiroga)
06 Cheinho de molho (Dominguinhos)
07 Morena bela (Luiz Gonzaga – João Silva)
08 Saudade matadeira (Dominguinhos)
09 Matuto de opinião (Luiz Gonzaga)
10 Baião dos vaqueiros (Vavá machado – Marcolino)
11 Até mais ver (Pedrinho do Nordeste – Primo)
12 Meu amor vem cá (Félix Porfírio – Noel Tavares)
13 Cacimba nova (José Marcolino)
14 A cigana lhe enganou (Juarez Santiago – Francisco Azulão)
15 Arrastão (Camarão)
16 Forró pífano (Gennaro)
17 Forró em Palmeira dos Índios (Dominguinhos – Anastácia)
18 Fazenda São Gonçalo – SPOT (Damásio do Acordeon)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Panticola – Bodoque e Baladeira

Colaboração do Panticola

“O CD ‘Bodoque e Baladeira’ do cantor Cearense Panticola, é um trabalho feito para mostra, invendável, então vocês não vão encontrar no comércio. É uma compilação de músicas já gravadas e inéditas.

O grupo é da região do Cariri Cearense, e está na estrada há mais de dez anos.
O trabalho conta com a participação especial do forrozeiro Flávio Leandro, na faixa ‘Ladeira dos Veríssimos’, e foi lançado no ano de 2009.”

Panticola – Bodoque e Baladeira
2009

01-Outra vez São João (Edgar Mão Branca)
02-Ladeira dos Veríssimos (Zé de Alta)
03-Pau de atiradeira (Papalo Monteiro)
04-Mar de desejo (Zé de Alta)
05-Pra me fazer sonhar (Sávio Menezes)
06-Poeta cantador (Lifanco)
07-Armadilha da paixão (Rangel Junior)
08-Chá de Costa (Zezito Doceiro)
09-Foi a saudade que me trouxe (Sávio Menezes)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

CD – Zé Henrique dos Oito Baixos – Zé Henrique dos Oito Baixos

Colaboração do sergipano Everaldo Santana

“Este disco foi adquirido do próprio Zé Henrique que afirmou a data de lançamento do referido disco foi no ano de 2009.”

Participação especial de Tiziu na faixa “A Melancia vai chupar na minha” de Miraldo Aragão e Zé Henrique.

Zé Henrique dos Oito Baixos – Zé Henrique dos Oito Baixos
2009

01 – Forró pé de bode (Miraldo Aragão)
02 – Cantinho dos artistas (Zé Henrique)
03 – Forró em farra (Zé Henrique)
04 – A Melancia vai chupar na minha (Miraldo Aragão – Zé Henrique)
05 – De São Paulo a Salvador (Zé Henrique)
06 – Molhadinha de suor (Zé Henrique)
07 – Xaxadinho das Alagoas (Severino Januário)
08 – Forró Gerson Filho (Gerson Filho)
09 – Quem sabe faz ao vivo (Zé Henrique)
10 – Forró em Conceição (Zé Henrique)
11 – Feira de mangaio (Sivuca – Glorinha Gadelha)
12 – Cheiro de mato verde (Zé Henrique)
13 – Forró da madrugada (Zé Henrique)
14 – Beleza pura (Zé Henrique)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Zé da Paraíba no Festival Rootstock 2009

Zé Paraíba tocando “Quebra dedo” de José Araújo, para o DVD Festival Rootstock 2009

1 2 3 4 5 10

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook