Dolores Duran – Esse norte é minha sorte

1959-dolores-duran-esse-norte-a-minha-sorte-capa

Colaboração do Jorge Paulo, ‘O Bandeirante do Norte’.

1959-dolores-duran-esse-norte-a-minha-sorte-selo-a1959-dolores-duran-esse-norte-a-minha-sorte-selo-b

“Dolores Duran, ou Adiléa da Silva Rocha, nascida em 07/06/1930, no Rio de Janeiro – RJ. Compositora. Cantora. Desde os três anos de idade já cantava. Aos cinco, já participava das festas populares de reisado e do grupo de pastorinhas (saía vestida de anjo), realizadas no bairro.

Aos dez anos, incentivada pelo amigo da família chamado Domingos, resolveu participar do programa de calouros de Ary Barroso (Calouros em Desfile). A pequena Adiléa tirou nota máxima, o elogio de Ary e 500 mil-réis. A partir daí, passou a aparecer em vários programas da época, sempre aos domingos.

1959-dolores-duran-esse-norte-a-minha-sorte-verso

Tinha desesseis anos e passou a usar o nome artístico de Dolores Duran a partir daí. Gravou o primeiro disco em fins de 1951, lançado para o carnaval do ano seguinte,

Em 1956, gravou um de seus sucessos como intérprete, o baião ‘A fia de Chico Brito’, de Chico Anysio. Registrou no mesmo disco o xote ‘Na asa do vento’, de Luiz Vieira e João do Vale. Ainda no mesmo ano, gravou o bolero ‘Zefa Cangaceira’, de Chico Anysio.

Compôs em 1959, lançou o LP ‘Esse norte é minha sorte’, com, entre outras, ‘Saudade ingrata’, de Claudionor Nascimento e Ted Moreno; ‘Quando se tem amor’, de Armando Nunes e Altamiro Carrilho; ‘Esse norte é minha sorte’, de Ruy Duarte e Miguel Gustavo e ‘Prece de Vitalina’, parceria com Chico Anysio.” (Leia o texto na íntegra)

Dolores Duran – Esse norte é minha sorte
1959 – Copacabana

01. Te cuida Zeca (Miguel Gustavo) baião
02. Saudade ingrata (Ted Moreno / Claudionor Nascimento) toada
03. Prece de Vitalina (Francisco Anizio / Dolores Duran) baião
04. Minha toada (Édson França / Dolores Duran) toada
05. Tá nascendo fio (Francisco Anizio / Haydée Paula) baião
06. Zefa cangaceira (Francisco Anizio) baião
07. Quando se tem amor (Altamiro Carrilho / Armando Nunes) toada
08. Não se avexe não (Francisco Anizio / Haydée de Paula) baião
09. Esse norte é minha sorte (Miguel Gustavo / Ruy Duarte) baião
10. Quase louco (Victor Simon) baião

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

3 comments

  • Samuel Machado Filho

    Este foi, infelizmente, o último LP de Dolores Duran, que faleceria no mesmo ano. Ela ainda teve tempo de gravar um compacto duplo ao vivo na boate Michel de São Paulo (CEP-4568), com o samba “A banca do distinto”, de Billy Blanco, o standard americano “My funny Valentine”, e dois sambas-canções clássicos dela mesma: “A noite do meu bem” e “Fim de caso”. No LP em questão, Dolores regravou “Zefa cangaceira”, “Não se avexe não” (criações dela mesma), “Quase maluco” (lançada por Luiz Gonzaga em 1950) e “Te cuida, Zeca” (criação de Neusa Maria, em 1954). O Édison França que assina com ela “Minha toada” era o Edinho do Trio Irakitan, morto prematuramente em acidente de automóvel.A música também foi interpretada por Mazzaropi em seu último filme, “O jeca e a égua milagrosa”, de 1980.

  • Marcone

    Neste maravilhoso LP, a canção ”Minha Toada” é tão linda, tem uma profundidade de poesia que deixa as musicas atuais humilhadas. Estamos no século XXI e deixamos para trás as letras que realmente diziam algo, letras que expressavam o que se passava na alma das pessoas, que retratavam histórias e situações (como em diversas músicas Sertanejas de verdade, não essa porcaria de ”universitário”). Um abraço a todos.

  • Joaquim Albernaz Rezende Neto

    Adoro esses artistas, que inspiraram outros nos dias atuais. Eu baixei para conhecer mais essa intérprete: Dolores Duran. Muito obrigado pela postagem Forró Em Vinil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
[Vem por aqui]

Um grade abraço,
DJ Ivan