post image

Osvaldo Oliveira – É com jeitinho

Colaboração do Lourenço Molla, de João Pessoa – PB

Nesse disco já tinha realmente abandonado o forró, é um álbum composto por músicas românticas e baladinhas.

Direção artística de Abdias, destaque para o samba “Este ano irei a Belém” de Osvaldo Oliveira e Audenor Custódio.

Osvaldo Oliveira – É com jeitinho
1973 – CBS

01. É com jeitinho (Tito Mendes – Altamiro Baptista)
02. A deusa do mercado São José (Elino Julião)
03. Deixa esta vida (Osvaldo Oliveira)
04. Dona do meu coração (Osvaldo Oliveira – Mary Monteiro)
05. Desgosto (Reinaldo Costa)
06. Não é aquela Amélia (Anatalício – José Batista)
07. Mulher (Fernando Borges)
08. Não vai te chamar dona (Severino Ramos – Antonio Rodrigues)
09. Este ano irei a Belém (Osvaldo Oliveira – Audenor Custódio)
10. Não vá embora (Osvaldo Oliveira – Mary Monteiro)
11. Minha vida, meu sonho, meu mundo (Raymundo Evangelista – Daniel Junior)
12. Telegrafistas do Brasil (Osvaldo Oliveira)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

Quinka dos 8 Baixos – Na Casa do Téo dos 8 Baixos

*Video enviado pelo sergipano Everaldo Santana

“Mais um vídeo do baú do tico dos 8 Baixos. O saudoso Quinka dos 8 Baixos participa de uma festa de aniversário na casa do Téo dos 8 Baixo; depois o Quika toca no bar do Beto junto com o Téo dos 8 Baixos. O Téo dos 8 Baixos ainda hoje organiza forrós; atualmente ele faz forró no bairro do Belém na Zona Leste da Grande São Paulo, próximo ao antigo salão do Pedro Sertanejo.”

post image

CD – Waldonys – Quem não dança, dança

Colaboração do Carlos Alberto, de Morada Nova – CE

Esse é o primeiro CD lançado pelo Waldonys, que anteriormente havia gravado dois LPs.

“Se existe uma frase que defina o nome Waldonys, ela é a conhecida ‘Tal Pai, tal Filho’. Ainda pequeno, vendo seu pai Eurides tocar, brotou no menino Waldonys a paixão pelo acordeon. Começou a tocar com apenas 11 anos, aos 14 teve seu talento reconhecido por Dominguinhos e gravar o CD ‘Choro Chorado’. Aos 15 anos, Waldonys gravou com Luiz Gonzaga o disco “Fruta Madura”, onde foi carinhosamente chamado de ‘Garoto Atrevido’.

Atualmente o talentoso artista tem o aplauso da crítica e, como no dizer de Luiz Gonzaga continua atrevido. Já gravou oito discos próprios e consolidou seu nome junto a importantes cantores e compositores da MBP. Lançou em 1992 seu primeiro disco intitulado “Viva Gonzagão”. Na seqüência, “Veleiros”, “Quem não Dança, Dança”, ‘Coração da Sanfona’, ‘Waldonys Canta e toca sucessos nordestinos’. E mais: ‘Aprendi com o Rei 1 e 2’, ‘Anjo Querubim’ e ‘Eterno Aprendiz’, seu último lançamento. Depois de muitos shows, incluindo uma temporada de seis meses nos Estados Unidos, fez platéias na Europa, Estados Unidos e Cuba o aplaudirem de pé, após apresentações marcadas pela multiplicidade de seu repertório, abrangendo músicas clássicas e populares. Conjugação perfeita entre a versatilidade do acordeon e a genialidade do músico.

Seu estilo é inconfundível, pois consegue aliar técnica a muito swing. Waldonys transpira prazer e categoria ao cantar e tocar forrós e outros ritmos musicais, sempre com desenvoltura e simplicidade. Animar festas e “botar fogo” nos forrós pelo Brasil afora é a sua vocação. Hoje os elogios da elite da MPB ao trabalho de Waldonys transformam-se em diplomas de reconhecimento ao seu extraordinário talento: ‘Waldonys, este garoto é muito atrevido, com 15 anos tocando desse jeito…’, Luiz Gonzaga. ‘Waldonys, Gozagão falou e eu continuo falando, êta moleque atrevido! Como toca esse danado’, Dominguinhos. “Esse menino é o fenômeno da sanfona”, Hermeto Pascoal. “Waldonys, você é um tradutor da sanfona”, Zé Ramalho. ‘Waldonys, o mestre da Sanfona’,” Ricardo Chaves.

Waldonys – Quem não dança dança
1995 – SomZoom

01 Quem não Dança, Dança (Ferreira Filho – Luiz Fidélis)
02 Voltinha Danada (Ferreira Filho)
03 Mal me Quer, Bem me Quer (Luiz Fidélis – Danilo Lopes)
04 Pout-Pourri
Cururu no Brejo (Dominguinhos)
Rozeira do Norte (Pedro Sertanejo – Zé Gonzaga)
05 Peão de Roça (França)
06 Se Lembra Coração (Ferreira Filho – Luiz Fidélis)
07 É Quem men Brasa (Luiz Fidélis – Danilo Lopes)
08 Eu e a Solidão (Carneiro Portela – Leal Borges)
09 Começo de Namoro (França – Oliveira do Ceará)
10 Bote Tempo (Eliezer Setton)
11 Apague o Fogo (Waldonys)
12 Estação das Flores (Antonio Brasileiro)
13 Beija-Flor (Luiz Fidélis)
14 Quero nem Saber (Dominguinhos – Nando Cordel)
15 Pra Falar de Amor (Luiz Fidélis – Célio Uchôa)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

CD – Camarão e Salatiel D´Camarão – Seguindo meus passos

Colaboração do Salatiel D´Camarão

“Este disco é uma coletânea que foi lançado no auditório do Jornal Diário de Pernambuco em Junho de 2011, chama-se Seguindo meus passos que é nome de uma turnê que fizemos na Paraíba, Piaui e em Pernambuco.”

“Mestre Camarão
Nasceu em Brejo da Madre de Deus (no distrito chamado fazenda velha) Reginaldo Alves Ferreira, em 23 junho de 1940, conhecido por Camarão. Começou a tocar com 6 anos de idade e hoje 63 anos carreira com uma discografia que contabiliza em 30 discos, sendo 18 – long plays “vinil”, 4 – compactos, 3 – 78 rotações e 5 CD ‘s.
Intitulado Patrimônio Vivo de Pernambuco, chegou a trabalhar com Luiz Gonzaga (que depois de seu pai foi o seu maior ídolo), Marinês, Dominguinhos, Genival Lacerda, Trio Nordestino, Ary Lobo e outros.

Salatiel D’ Camarão
Nasceu em Caruaru; Através da convivência do pai cresceu próximo aos seus ídolos como: Luiz Gonzaga, Lindú (Trio Nordestino), Sivuca, Oswaldinho, Marinês e tantos outros. Cercado deste mundo fascinante não poderia ser outra coisa se não músico.

Ainda criança foi para o Conservatório Pernambucano de música em 1984. Em 1987 começou sua profissional, desde então trabalhou com os seus ídolos e também trabalhou com artistas de outros gêneros como: Cauby Peixoto, Marinês, Moacir Franco, Trio Nordestino, Patrick Dumon, Genival Lacerda, Camarão, Dominguinhos, Hermeto Pascoal, Sivuca. Robertinho do recife entre outros.

Começou como cantor no ano de 2007 sendo líder da banda Afarinhada, foi ai então que decidiu assumir uma carreira solo através do apoio de seu pai, do Gennaro e o Genival Lacerda. Utilizando então o nome que durante esses anos como músico usou “Salatiel Dias” gravou seu primeiro Cd, mas por ser filho de quem é a referencia era: Salatiel Camarão ou Salatiel de Camarão e por uma questão natural seu nome artístico ficou: Salatiel D’ Camarão.”

Camarão e Salatiel D´ Camarão – Seguindo meus passos
2011

01-Forró do Camarão (Camarão)
02-Sei Lá (Camarão)
03-Meus Velhos (Camarão)
04-Brás, Pedacinho do Norte (Camarão) Dominguinhos
05-Lá e Lô (Camarão)
06-Sem Chão (Assis Guerra)
07-Estrada da Vida (Camarão – Thadeu Siqueira)
08-Crise de Um Apaixonado (Assis Guerra)
09-Eu e Mariquita (Patricio) Gennaro
10-Forró pra Frente (Walmir Silva) Genival Lacerda
11-Oração de São Francisco (São Francisco de Assis)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

CD – Luizinho Calixto – Em Solo Brasileiro

Colaboração do Francisco Alves, de Várzea Alegre – CE

“veja que belo repertório tem este CD do Luizinho Calixto, realmente são solos com os mais diversos ritmos da nossa música nordestina, não tem como destacar uma ou outra faixa são todas maravilhosas. Ganhei este CD do próprio Luizinho, numa homenagem que o mesmo, juntamente com o Zé Calixto e vários outros artistas, vieram fazer ao nosso Pedro Sousa…”

Luizinho Calixto – Em Solo Brasileiro
2001

01 Baião Menino (Luizinho Calixto)
02 A Dança do Lourinho (Luizinho Calixto)
03 Um Toque a Mais (Luizinho Calixto)
04 Passeando em Sª Cruz (Luizinho Calixto)
05 Bicho Papão (Luizinho Calixto)
06 Chorinho pros Taumaturgo (Luizinho Calixto)
07 O Chamego do Meu Bem (Luizinho Calixto)
08 Saudades de Mãe Maria (Luizinho Calixto)
09 Brasiliano (Luizinho Calixto)
10 O Tempero Nordestino (Luizinho Calixto)
11 É a Cara Dele (Luizinho Calixto)
12 Meio Quilo de Forró (Luizinho Calixto)
13 Harmonicamente (Luizinho Calixto)
14 Forró no Pé do Muro (Luizinho Calixto)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Anastácia – Saudade matadeira

Esse é um disco de 1992, quando as gravadoras estavam completamente perdidas, tentando acompanhar as tendências vindas de fora.

O disco conta com arranjos modernos e e até um rock sanfonado.

Destaque para “Saudade Matadeira” de Dominguinhos e Anastácia

Anastácia – Saudade matadeira
1992 – Disco Kid

01. Vem Que Tem Forró (Anastácia / Edmilson Silva)
02. Pra Onde Tu Vais (Anastácia / Edmilson Silva)
03. Cada Vez Te Quero Mais (Anastácia)
04. Mande Um Bilhete (Anastácia)
05. Vou Ver Minha Mãe (Anastácia / Oscar Barbosa)
06. Forró do Zé Lagoa (Anastácia / Dominguinhos)
07. Saudade Matadeira (Dominguinhos / Anastácia)
08. Petrolina Cidade Menina (Anastácia / Domingos Nogueira)
09. Vamos Plantar Algodão (Anastácia / Edmilson Silva)
10. Bravo Caminhoneiro (Anastácia / Liane)
11. Louvação ao Vaqueiro (Anastácia / Julinho do Acordeon)
12. Assim Não Dá Pra Casar (Anastácia)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

CD – Tchesco Oliveira & Forró pra valer – vol.1

Colaboração do Tchesco Oliveira

“À 5 de dezembro de 1974, nascia em Sobral-CE o menino Francisco de Assis Oliveira, filho do sanfoneiro Zezé Bastos e Maria das Virgens. Desde muito cedo o menino convive com a música, tendo em vista que a sede do conjunto de seu pai ficava em sua própria casa. A mãe relata que no primeiro ensaio após o nascimento de Francisco, coisa de uns 20 dias, ao lembrar que o menino dormia em um quarto muito próximo da fonte sonora, a mãe correu para observá-lo, e reparou que embora o som estivesse muito alto, o menino apenas estava de olhos arregalados, porém, sem nenhum choro. Então ela chamou Zezé e disse que aquele seria mais um músico na família.

Ocorridos então 12 anos, Francisco começa demonstrar interesse pelo instrumento executado a vida toda por seu pai, a velha sanfona. A mãe, embora achando tardio o tal interesse, não concordava que o menino deixasse de fazer suas tarefas escolares para passar tardes inteiras “apontando” músicas no velho acordeon. Então participou sua preocupação à Zezé e foi logo à escola de Francisco para pedir apoio à professora. Não adiantou. A avidez de Francisco para aprender o ofício de seu pai era maior. Então, concordaram que Francisco ensaiaria seus “toques”, desde que isto não interferisse em sua vida escolar.

Em 1989, o adolescente Francisco conhece a Renovação Carismática Católica, onde envereda pelos acordes do teclado eletrônico, passando então a tocar nas missas e apresentações do ministério de música. Querendo aperfeiçoar-se no tal instrumento tecnológico, Francisco, agora apelidado por Tchesco, pede ao pai que fale com o seu amigo Crisanto Rodrigues, que tinha uma banda de baile e poderia ensiná-lo a tocar melhor. Crisanto pede para trazer o garoto à sede da banda, onde começa a ter aulas de teclado e também acompanha o grupo por festas e bailes em toda a região.

Tchesco trabalhou com Crisanto Show Banda de 1990 à 1997, quando já estava casado com Adriana e já havia nascido Francielly, sua primogênita. Nesta época, Tchesco já era conhecido como músico arranjador e produtor musical, pois no estúdio de um amigo em Sobral, Tchesco compunha e gravava jingles de lojas e músicas de campanhas políticas. Em 1994, tinha conhecido Marcílio Mendonça do Proaudio Stúdio em Fortaleza, quando na época estava gravando o primeiro projeto de Crisanto, despertando assim o interesse pelo universo das produções musicais.

Em 1998, Tchesco decide voltar ao ministério de música da RCC de sua cidade, incentivado por seu amigo Jonny Santana, com quem começa uma sociedade em 1999 no Digiaudio Studio. Tchesco então passa a produzir em seu estúdio muitos grupos, bandas, artistas locais e entusiastas da música. Devido à demanda muito grande de músicas regionais, surge novamente o encanto pela velha sanfona, desta vez, de maneira arrebatadora.

Tchesco Oliveira forma dois grupos musicais, uma banda de baile com nove componentes e um grupo de forró pé de serra, onde toca e canta músicas de todos os ícones da música nordestina.

Hoje, Tchesco Oliveira reveza-se entre seu estúdio e o grupo Tchesco Oliveira & Forró Prá Valer. Tem como principal referência musical, o grande artista Dominguinhos, assim como Luiz Gonzaga, Trio Nordestino, Os 3 do Nordeste, Jackson do Pandeiro, Marinês, Osvaldo Oliveira, Ari Lobo e a nova safra: Waldonys, Ítalo e Renno, Dorgival Dantas e tantos outros que mantêm suas raízes fincadas em nossa cultura. Tchesco Oliveira é católico, casado desde 1996 com Adriana Oliveira, com quem tem dois filhos, Francielly e Marcos Vinícius.”(release enviado pelo artista)

Tchesco Oliveira & Forró pra valer – vol 1
2011

01 – Forró pra valer (Zezé Bastos)
02 – Tempero (Willian Rodrigues)
03 – Ser tão ardente (Willian Rodrigues)
04 – Quem ama perdoa (Tchesco Oliveira)
05 – Trem bom (Vicente Barreto – Paulinho Pedra Azul)
06 – Pot Pourri
Pedras que cantam (Dominguinhos – Fausto Nilo)
Isso aqui ta bom demais (Dominguinhos – Nando Cordel)
Rede na varanda (Eliane)
07 – Pedacinho (Ribamar Loreto)
08 – Felicidade (Rennê – Django)
09 – Aviso pra Maria (Willian Rodrigues)
10 – Anjo querubim (Petrúcio Amorim)
11 – Coração sarado (Willian Rodrigues)
12 – Forró da pagodeira (Zezé Bastos)
13 – Mestre Alonso (Willian Rodrigues)
14 – Festa do algodão e Forró do Doca (Zezé Bastos)
15 – Filho de gato (Tchesco Oliveira)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Negrão dos 8 Baixos e Luiz Moreira

*Foto enviada pelo Luiz Moreira

Negrão dos 8 Baixos e Luiz Moreira, em Senhor do Bonfim – BA, em junho de 1985

post image

CD – Eliane do Forró – Eliane do Forró

Esse é o décimo quinto álbum de carreira.

“Eliane, cantora e compositora cearense, comemora seus 28 anos de carreira, a artista passeia por muitos estilos musicais criando ritmos e interpretando o melhor da música brasileira.

O gosto e o talento pela música vêm desde os 15 anos quando Eliane contou com a ajuda de seu pai Jose lima para conseguir seu espaço no meio musical, o mesmo a levou para fazer um teste em uma banda e descobriu então o seu dom de cantar.

Exatamente dois anos depois de lançar seu primeiro trabalho, um compacto gravado em Fortaleza, Eliane recebia o primeiro disco de ouro das mãos do ‘Velho guerreiro’ Chacrinha, em pouco tempo ficou conhecida pelo público como a Rainha do Forró.”

Eliane do Forró – Eliane do Forró
1998 – RGE

01. Sou Tua (Chico Oliveira / Edinaura)
02. Teu Jeito (Arthur Neto)
03. Te Amo Perdidamente (Eridan / Eliane do Forró)
04. Flecha Da Paixão (Cláudio Padilha)
05. Cantando Pra Vida (Daniel)
06. Confissões (Rosinha Mariana / Eliane do Forró)
07. Me Dá O Seu Amor (Tivas)
08. Mar De Ilusões (Cleyton / Socorro Valentim)
09. Te Amar, Te Amar (Chico Oliveira / Eliane do Forró)
10. Preciso De Alguém (Édson Batera / Eliane do Forró)
11. Te Amo Pescador (Eridan / Eliane do Forró)
12. Quero A Vida Com Você (Chico Oliveira / Eliane do Forró)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

post image

Zé Paraíba – Forró do Zé Paraíba

Colaboração do Lourenço Molla, de João Pessoa – PB

Um raro disco do Zé Paraíba.

Direção artística de Roberto Stanganelli.

Zé Paraíba – Forró do Zé Paraíba
1971 – Tropicana

01. Se for por mim se machuca (Zé Paraíba – J. Luna)
02. Nordeste pra frente (Zé Paraíba – Luiz Rodrigues)
03. Tocador sem preguiça (Zé Calixto)
04. Procurando tu (Antonio Barros – J. Luna)
05. Quadrilha em Penedo (Zé Paraíba – J. Paulo – Chiquinho Queiroz)
06. Mil e uma namoradas (Zé Paraíba – Professor do Zabumba)
07. Aperta a nega (Zé Paraíba – Irmãos Nordestinos)
08. Forró em Cajazeiro (Zé Paraíba – Jalão Cabral)
09. Frevo da vitória (Buco do Pandeiro – Zé Araújo)
10. Dançando agarrado (Estenderlau – Zé Paraíba)
11. Rojão de viola (Garoto Nordestino – Rosil Cavalacanti)
12. Baião da Rosinha (Heleno Luiz)

Para baixar esse disco, clique aqui.

Se estiver com dificuldade para baixar e descompactar os arquivos, tire suas dúvidas em nosso manual “passo a passo”, clique aqui.

1 2 3 4

Quem somos

Somos uma rede filantrópica colaborativa de colecionadores e músicos.

Uma comunidade que se conheceu e se comunica virtualmente, unidos em torno de uma paixão comum, o forró tradicional.

Quer saber mais da nossa história?
Continue navegando neste portal.

Um grade abraço,
DJ Ivan

Facebook